Seleção feminina da Jordânia exige comprovação que goleira do Irã não é homem

·2 min de leitura
Zohreh Koudaei foi decisiva na classificação do Irã. Foto: Talibjan Kosimov/Anadolu Agency via Getty Images
Zohreh Koudaei foi decisiva na classificação do Irã. Foto: Talibjan Kosimov/Anadolu Agency via Getty Images

Polêmica nas Eliminatórias para a Copa Asiática feminina que vai acontecer no início de 2022. A Associação de Futebol da Jordânia exigiu exames comprovando o sexo de uma jogadora da seleção iraniana, após as duas seleções se enfrentarem pelas Eliminatórias para a Copa Asiática feminina, em setembro.

A jogadora em questão é a goleira Zohreh Koudaei e o pedido foi feito pelo príncipe Ali Bin al-Hussein que encaminhou um pedido de abertura de inquérito à AFC (Confederação Asiática de Futebol).

Leia também:

Uma publicação no Twitter do presidente da federação jordaniana, datada de 5 de novembro exige a “verificação do sexo” de Koudaei.

No texto o dirigente coloca “dúvidas sobre a elegibilidade da jogadora”, e afirma que o Irã “tem um longo histórico no que diz respeito a questões de gênero e de dopagem” das suas atletas.

Acusações de usar jogadores masculinos em sua seleção feminina não são novidade para o Irã Em 2015, por exemplo, houve a suspeita de que oito jogadoras da seleção iraniana eram homens aguardando uma cirurgia de readequação sexual, mas isso nunca chegou a ser comprovado.

Jogadora vai processar a seleção da Jordânia

Após a acusação a goleira iraniana se pronunciou sobre o caso.

“Sou uma mulher. Eles estão fazendo bullying comigo”, disse Zohreh Koudaei aos veículos de comunicação do Irã.

Outra que se manifestou foi Maryam Irandoost, técnica do Irã. Em entrevista à imprensa local ela disse que as acusações são levianas e que não passam de um pretexto para não aceitarem a derrota. A treinadora se colocou à disposição para fornecer toda a documentação que a Confederação Asiática solicitar.

O duelo entre Irã e Jordânia, em Teerão, foi decidido nos pênaltis após um empate sem gols no tempo regular. O Irã venceu por 4 a 2 graças a duas defesas de sua goleira, que tem 32 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos