Seleção de vôlei masculino promete disputar o bronze nas Olimpíadas como se fosse ouro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 05.06.2015 -  Wallace durante treino - A Seleção brasileira de voleibol masculino. (Foto: Ernesto Rodrigues/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 05.06.2015 - Wallace durante treino - A Seleção brasileira de voleibol masculino. (Foto: Ernesto Rodrigues/Folhapress)

TÓQUIO, JAPÃO (FOLHAPRESS) - Imediatamente após a queda na semifinal das Olimpíadas de Tóquio, jogadores e comissão técnica da seleção masculina de vôlei adotaram discurso de que vão disputar a medalha de bronze como se fosse uma final olímpica.

Uma das favoritas ao ouro em Tóquio, a equipe brasileira mais uma vez não conseguiu superar os russos. Perdeu a semifinal de virada, por 3 sets a 1 (25/18, 21/25, 24/26 e 23/25), e ficou fora da disputa pelo ouro pela primeira vez desde Sidney-2000.

O adversário no confronto pelo bronze, marcado para sábado (7), 1h30, sairá da outra semifinal, entre França e Argentina. Na fase de grupos, a seleção levou a melhor sobre os dois times.

Finalista nas últimas quatro edições das Olimpíadas, o Brasil brigou pelo bronze nos Jogos de Seul-1988, quando perdeu da Argentina.

Na ocasião, o técnico Renan Dal Zotto era atleta daquele time. Ele diz que usará essa experiência para tentar motivar o elenco. "Eu já passei por isso [derrota na decisão do bronze], o nosso grande desafio é estar no pódio. Passei por uma experiência dessa em 1988, e é um gosto muito amargo [perder]", afirmou o treinador da seleção.

O capitão e levantador Bruninho tem discurso semelhante. "Por mais difícil que seja, temos que apagar isso. O bronze conta muito para gente. Sabemos o quanto a gente merece, quanto a gente trabalha, se dedica", disse o atleta.

O oposto Wallace reconheceu a superioridade dos adversários e disse que o time brasileiro vai disputar o bronze como uma final. "Não tem muito o que falar, tem que dar os méritos para eles. A gente pecou em alguns momentos, não conseguiu rodar algumas bolas e isso pesa bastante", disse.

No duelo desta quinta, o Brasil venceu o primeiro set, perdeu o segundo e chegou a estar vencendo o terceiro por 20 a 12, mas tomou uma virada de 26 a 25. Os atletas não conseguiam esconder o abatimento, assim como o técnico Renan.

"A gente tenta buscar explicações [para o terceiro set], mas são coisas que acontecem no esporte. não é a primeira vez, acompanho há muito tempo. No voleibol, às vezes, o adversário te trava, e você não consegue sair", lamentou Renan. "Que fique o aprendizado para que em momentos assim a gente busque uma outra solução."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos