Seleção tem legião de jovens que viveram a 'Neymarmania' e vão jogar a Copa com o ídolo


O período entre o fim da penúltima década e o início da última, lá pelo ano 2010, teve como marco o surgimento de um ídolo no futebol brasileiro: Neymar, que até hoje é o maior expoente desta geração de jogadores. Crianças e adolescentes passaram a imitar o jogador com penteados, danças e maneira de jogar. Todos queriam ser "Ney" e a Seleção Brasileira atual conta com esses "Neymarmaníacos".


> AO VIVO: acompanhe em tempo real os passos da Seleção Brasileira na Copa do Mundo

Quem é fanático por futebol e foi criança há pouco mais de dez anos certamente foi um fã de Neymar. Em pleno "boom" das redes sociais e da hiperexposição da vida, a explosão de uma referência como essa facilmente espalhou sua influência no território nacional e posteriormente internacional. Quem não quis ter uma chuteira do Neymar? Ou um penteado? Ou até fazia o sinal do "É Tóis"?

Neymar estava em todos os lugares... Participava de novelas, de clipes, de shows, de propagandas e jogava bola, muita bola. Aos 20 anos, ele já sobrava no futebol brasileiro e aumentava sua legião de fãs exponencialmente, sobretudo aqueles que queriam se tornar jogadores profissionais, alguns que hoje fazem parte da Seleção.

Dos 26 convocados de Tite, 12 viveram sua infância e adolescência enquanto Neymar despontava no futebol, ou seja, acompanharam praticamente a trajetória inteira do craque canarinho e provavelmente olharam para ele como referência dentro de campo, como afirmou Rodrygo em entrevista coletiva na última semana.

- É um ídolo para mim, cresci vendo jogar. Sempre ia na Vila (Belmiro) vê-lo jogar. Ele sempre foi um líder, desde a época em que eu estava no Santos - e aqui não é diferente. Passa muita confiança para a gente, os mais jovens que estão começando agora. É um cara fantástico e que é sempre muito bom ter no grupo - disse o "Rayo".

Comemoração - Coreia do Sul x Brasil
Comemoração - Coreia do Sul x Brasil

Neymar e fãs/companheiros na Seleção (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

> Veja a tabela da Copa do Mundo-2022 clicando aqui

Além de Rodrygo, cria do Peixe como Ney, Lucas Paquetá, Richarlison, Raphinha, Militão, Bruno Guimarães, Gabriel Jesus, Antony, Vini Jr., Bremer, Pedro e Martinelli tinham entre nove e 14 anos quando o ídolo estava começando a disseminar a "Neymarmania" no futebol brasileiro e certamente foram influenciados por essa onda.

Hoje os fãs estão ao lado do ídolo em busca de um objetivo maior, que não vem para o Brasil há 20 anos: a Copa do Mundo. Essa geração de bons valores tem a missão de dividir com Neymar a responsabilidade de trazer o hexacampeonato da Seleção. E se depender da referência que tiveram, é possível sonhar com a taça. A estreia brasileira será contra a Sérvia, nesta quinta (24), às 16h.

> Seleção convocada! Veja os escolhidos de Tite para a Copa

Idade dos "Neymarmaníacos" da Seleção no início de Neymar:

Lucas Paquetá - 13 anos
​Richarlison - 13 anos
Raphinha - 13 anos
Militão - 12 anos
Bruno Guimarães - 13 anos
Antony - 10 anos
Vini Jr. - 10 anos
Rodrygo - 9 anos
Bremer - 13 anos
Pedro - 13 anos
Martinelli - 9 anos