Seleção feminina de basquete perde segundo jogo no Pré-Olímpico

Folhapress

Equipe brasileira terá que vencer Austrália neste domingo para ir a Tóquio

(FOLHAPRESS) Em 08/02/2020 18h30

A seleção brasileira feminina de basquete sofreu neste sábado (8) sua segunda derrota no Pré-Olímpico de Bourges, na França. Contra as donas da casa, as comandadas do técnico José Neto perderam por 89 a 72.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Num ginásio lotado, as francesas dominaram o confronto do início ao fim. Sandrine Gruda foi o grande destaque, com 26 pontos.

Neste domingo (9), o Brasil enfrenta a Austrália às 10h pela terceira e última partida do torneio (com transmissão do SporTV2). Para ir aos Jogos de Tóquio, precisará vencer as atuais vice-campeãs mundiais.

A brasileira Damiris marca o arremesso da francesa Sandrine Gruda Divulgação/Fiba Jogadora francesa arremessa com a marcação de brasileira      A derrota para as francesas era esperada, tanto que Neto rodou bastante o elenco durante a partida. O mesmo não pode ser dito do revés diante das porto-riquenhas na estreia, que complicou a vida das brasileiras.

A seleção feminina foi ao pódio olímpico nos Jogos de Atlanta-1996 (prata) e Sydney-2000 (bronze). Agora, corre grandes riscos de ficar fora do que seria sua oitava participação consecutiva no evento, que disputou pela primeira vez em Barcelona-1992.

Galeria Dez boas possibilidades de medalha do Brasil em Tóquio-2020 Veja atletas que são favoritos a subir ao pódio na Olimpíada do Japão https://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/1654734621412868-dez-grandes-possibilidades-de-medalha-do-brasil-em-toquio-2020#foto-1654734991977284     Após perder todos os jogos da fase de grupos na Olimpíada do Rio, em 2016, e nem se classificar para a última Copa do Mundo da modalidade, em 2018, a disputa por vaga nos Jogos de Tóquio parecia mesmo uma missão distante das possibilidades brasileiras.

A recuperação sob o comando de José Neto, que assumiu o cargo em junho de 2019, começou em agosto, nos Jogos Pan-Americanos de Lima, quando o Brasil conquistou uma surpreendente medalha de ouro --a primeira no evento desde 1991.

Na decisão, ao baterem uma seleção reserva dos Estados Unidos, as atletas ficaram muito emocionadas e foram às lágrimas.

Ainda no ano passado, elas terminaram na terceira posição na AmeriCup (derrotadas nas semifinais pelo Canadá) e bateram Argentina e Colômbia no Pré-Olímpico regional para chegar ao classificatório internacional de Bourges.

Tudo parecia bem encaminhado para a redenção, não fosse a derrota inesperada na estreia. Nos últimos 8 confrontos contra Porto Rico, as brasileiras haviam vencido 6.

Leia também