Seleção dos EUA nomeia técnico interino após polêmico fim de ciclo de Berhalter

Anthony Hudson foi nomeado técnico interino da seleção de futebol dos Estados Unidos nesta quarta-feira após a polêmica saída de Gregg Berhalter, treinador da seleção na Copa do Catar, denunciado pelos pais de um de seus jogadores por um caso de violência de gênero que protagonizou em 1991.

Hudson - assistente de Berhalter no Catar - vai comandar os americanos, co-anfitriões ao lado do México e do Canadá da Copa do Mundo de 2026, no treinamento em Los Angeles antes dos amistosos contra a Sérvia em 25 de janeiro e a Colômbia em 28 de janeiro, disse o diretor esportivo de futebol, Earnie Stewart.

Hudson, de 41 anos, foi o técnico da seleção da Nova Zelândia e do Bahrein, assim como da seleção sub-20 dos Estados Unidos.

A nomeação de Hudson ocorre um dia depois de Berhalter, cujo contrato de técnico nos Estados Unidos expirou no último sábado, admitir ter chutado sua futura esposa, Rosalind, em um incidente de 1991 que, segundo ele, foi usado contra ele de maneira ameaçadora.

"Foi um momento embaraçoso e do qual me arrependo até hoje", disse Berhalter. "Não há desculpas para minhas ações naquela noite".

Berhalter disse que passou por uma terapia após o chute e não repetiu nenhum incidente físico.

Claudio Reyna, ex-capitão dos Estados Unidos e atual diretor esportivo do Austin FC da MLS, e sua esposa Danielle admitiram em entrevista ao The Athletic e à ESPN que pressionaram os executivos da Federação de Futebol dos EUA com detalhes sobre o passado de Berhalter.

A movimentação aconteceu depois de o técnico ter dito a Gio Reyna, filho de Claudio e Danielle e jogador do Borussia Dortmund, que teria um papel limitado na Copa do Mundo do Catar.

Os Reyna não revelaram os detalhes aos dirigentes da US Soccer até 11 de dezembro, depois que Berhalter falou sobre um jogador não identificado que quase foi cortado da Copa do Mundo, e Gio Reyna confirmou no Instagram no dia seguinte que era ele esse jogador.

Berhalter e o pai de Gio Reyna jogaram juntos em times juvenis, assim como na seleção dos Estados Unidos, e suas esposas foram companheiras de equipe na Universidade da Carolina do Norte.

A US Soccer está investigando Berhalter e o incidente, além de conduzir uma revisão da Copa do Mundo enquanto considera quem irá comandar a seleção americana no próximo ciclo até o Mundial em casa.

js-meh/gfe/aam