Seleção da Euro do GLOBO: dez países têm representantes na segunda rodada

·3 minuto de leitura

Assim como na Copa do Mundo de 2018, o GLOBO divulgará, a cada rodada, uma seleção com os melhores jogadores da Eurocopa. O esquema escolhido é com base nos destaques.

Em semana de tropeços, placares apertados e um jogaço entre Alemanha e Portugal, a Euro encerrou sua segunda rodada no último final de semana, e agora se aproxima do momento de definição em sua fase de grupos.

A rodada teve brilho dos meias Locatelli, da Itália, e De Bruyne, da Bélgica — retornando à equipe, após se recuperar de lesões no rosto. No total, dez países ganharam representantes na seleção, escalada no 4-3-3. Gales, que saiu derrotado ontem pela Itália, já pela terceira rodada, é o único que emplacou mais de um jogador na lista.

Goleiro

Robin Olsen (Suécia/Roma)

Seguro e concentrado, manteve a Suécia viva no jogo enquanto sofria pressão da Eslováquia. Fez grande defesa em cabeçada de Kucka, que acabou flagrado em impedimento.

Lateral-direito

Connor Roberts (País de Gales/Swansea)

Titular absoluto, Roberts marcou, já nos acréscimos, o segundo gol da vitória galesa sobre a Turquia, após passe de Gareth Bale. Foi seu primeiro gol pela seleção, momento que descreveu, emocionado, como "pura euforia".

Lateral-esquerdo

Robin Gosens (Alemanha/Atalanta)

Dos nomes menos badalados da seleção alemã até aqui, o lateral-esquerdo, que atuou na linha de meias, só não fez chover em campo. Suas escapadas nas costas de Semedo foram perigo constante para Portugal. Deu uma assistência e marcou o quarto gol da vitória por 4 a 2 sobre os lusos.

Zagueiros

Matthijs de Ligt (Holanda/Juventus)

De volta à equipe de Frank de Boer, o zagueiro comandou a constestada linha de três zagueiros da Holanda em vitória bem menos turbulenta que o 3 a 2 na estreia. Nada de gols para a Áustria com o jovem de 21 anos em campo.

Grant Hanley (Escócia/Norwich City)

Parte do eficiente sistema defensivo escocês que segurou a Inglaterra no clássico, foi marcador voraz de Harry Kane, que passou novamente em branco. Foi vital para evitar gol de Rashford no fim da partida.

Meias

Manuel Locatelli (Itália/Sassuolo)

Peça-chave no time titular de Roberto Mancini, o volante box-to-box do Sassuolo mostrou a veia artilheira contra a Suíça. Marcou duas vezes e garantiu mais uma larga vitória da azzurra.

Ivan Perisic (Croácia/Inter de Milão)

Com um belo gol, o já veterano meia-atacante croata evitou a derrota para a República Checa e deu sobrevida à Croácia na competição.

Kevin De Bruyne (Bélgica/Manchester City)

O meia mostrou por que Roberto Martínez fez questão de levá-lo até com fraturas na face. Recuperado, entrou no intervalo, comandou o meio e bateu colocado para decretar a virada da Bélgica sobre a Dinamarca.

Atacantes

Andriy Yarmolenko (Ucrânia/West Ham)

O dinâmico e carismático ponta ucraniano teve grande atuação na vitória por 2 a 1 sobre a Macedônia do Norte. Abriu o placar assistiu Yaremchuk no segundo.

Gareth Bale (País de Gales/Tottenham)

Dono da seleção galesa, concentrou as jogadas de ataque e distribuiu assistências para Connor Roberts e Ramsey contra a Turquia. A cobrança de pênalti isolada evitou a chave de ouro, mas não tirou o brilho da atuação.

Patrick Schick (República Checa/Bayern Leverkusen)

Artilheiro da Eurocopa ao lado de Cristiano Ronaldo, com três gols, o jovem do Bayer Leverkusen voltou a marcar. Acertado por Lovren dentro da área, bateu bem a penalidade e abriu o placar contra os croatas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos