Seleção Brasileira teve seus primeiros 'europeus' em Copa do Mundo há 40 anos


A história da Seleção Brasileira se confunde com a da Copa do Mundo, uma vez que é a única que participou de todas as edições desde 1930. Foram muitos acontecimentos que construíram essa trajetória rica da Amarelinha em Mundiais. Entre os marcos desse período, está a primeira vez que uma convocação trouxe um jogador atuando na Europa e isso aconteceu há 40 anos, na Espanha.


> Veja brasileiros com mais convocações na história das Copas
> Veja a tabela da Copa do Mundo-2022 clicando aqui

Estamos falando da Copa de 1982, que ficou marcada pelo inesquecível desempenho de uma das melhores seleções da história do futebol do planeta: a do Brasil. E na convocação de Telê Santana havia uma diferença marcante em comparação com as 11 anteriores, pois pela primeira vezes estavam presentes atletas vindos da Europa.

Paulo Roberto Falcão, da Roma-ITA, e Dirceu, do Atlético de Madrid-ESP, foram os jogadores chamados provenientes do Velho Continente. Naquele momento, esses atletas eram exceções, já que os outros 20 atuavam no futebol brasileiro. A verdade é que ainda eram poucas as peças que haviam feito a passagem para o estrangeiro e os grandes craques ainda estavam no Brasil.

Falcão, ídolo do Internacional e chamado de "Rei de Roma", havia deixado Porto Alegre rumo à capital italiana em 1980, ou seja, na época da Copa já estava na Europa há dois anos, mas era um jogador de seleção, tanto é que sua não convocação para 1978 foi bastante contestada naquela época, pois ele já brilhava no Colorado.

Dirceu (jogou no Fluminense, no Vasco e Atlético de Madrid)
Dirceu (jogou no Fluminense, no Vasco e Atlético de Madrid)

Dirceu jogava no Atlético de Madrid em 1982 (Foto: Reprodução)

Dirceu, por sua vez, era um veterano de Copas, pois já havia sido convocado para 1974 (com Zagallo) e para 1978 (com Claudio Coutinho), mas em ambas ele atuava no futebol brasileiro por Botafogo e Vasco, respectivamente. O meia-atacante chegou no Atlético de Madrid-ESP em 1979, onde ficou até 1982, antes de se transferir para o futebol italiano. Dirceu morreu aos 43 anos em um acidente de carro, em 1995, quando já estava aposentado.

Vale destacar que esses são os primeiros "europeus" da Seleção Brasileira em Copas, mas não os primeiros estrangeiros, já que em 1934, na Copa da Itália, o atacante Patesko atuava no Nacional-URU e fez parte da lista de convocados do técnico Luiz Vinhaes. Ele seguiu como o único jogador que atuava fora do Brasil a ser chamado até Dirceu e Falcão aparecerem na lista de Telê na Copa de 1982.

Dali em diante, todas as convocações da Seleção Brasileira para as Copas do Mundo tiveram jogadores vindos do futebol europeu. Em 1990 eles passaram a ser maioria nas listas, com exceção de 1994, quando 10 dos 22 convocados vieram da Europa e de 2002, que teve 13 dos 23 convocados jogando em território tupiniquim. Em 2022, 22 dos 26 jogadores da lista de Tite atuam no Velho Continente.

Os jogadores chamados se apresentam no dia 14 de novembro, em Turim, na Itália, onde a Seleção Brasileira vai treinar por cinco dias, no CT da Juventus, antes de viajar para o Qatar (dia 19 deste mês). A comissão técnica chega na cidade italiana entre os dias 12 e 13.

A Seleção estreia na Copa no dia 24, às 16h, contra a Sérvia, depois enfrenta a Suíça, no dia 28, às 13h. Para encerrar a participação no Grupo G, ela duela com Camarões, no dia 2 de dezembro, às 16h.