Seleção Brasileira não usará Granja Comary antes de uma Copa do Mundo apenas pela segunda vez


Após o anúncio dos 26 convocados para a Copa do Mundo de 2022, a Seleção Brasileira agora se reúne em Turim, na Itália, para finalizar a preparação para o torneio do Qatar. O técnico Tite utilizará as instalações da Juventus para comandar as atividades antes da viagem ao Oriente Médio.


Neste ano, porém, o Brasil não terá o carinho e o calor dos torcedores nos treinamentos, algo que foi normal nos últimos Mundiais. A Seleção abrirá mão da Granja Comary, no Rio de Janeiro, em virtude do calendário apertado.

+ Veja a tabela, os jogos e os grupos da Copa do Mundo de 2022

CT Juventus
CT Juventus

Centro de treinamentos da Continassa, da Juventus (Foto: Divulgação / Juventus)

As principais competições europeias serão interrompidas apenas no dia 13 de novembro, exatamente uma semana antes do início da Copa do Mundo (dia 20). Por conta do prazo apertado, a CBF decidiu não se apresentar no Brasil, mas sim na Europa, de onde seguirá para o Qatar.

A comissão técnica da Seleção Brasileira, encabeçada pelo técnico Tite, chega a Turim entre os dias 12 e 13 (sábado e domingo). Os jogadores, por sua vez, são aguardados entre os dias 14 e 15 (segunda e terça-feira).

+ Mudanças no ranking! Saiba quais são os clubes que mais cederam jogadores à Seleção Brasileira em Copas

Esta será apenas a segunda vez que a Seleção Brasileira não utilizará as instalações da Granja Comary na preparação para a Copa do Mundo. Inaugurada em 1987, a equipe canarinho treinou em Teresópolis para todos os Mundiais a partir de 1990, com exceção ao ano de 2006.

Para a Copa do Mundo da Alemanha, o técnico Carlos Alberto Parreira e a Seleção Brasileira decidiram realizar a preparação antes do torneio na cidade de Weggis, na Suíça. O que era para ser trabalho, entretanto, acabou virando farra.

Treino da Seleção Brasileira em Weggis, na Suíça, antes da Copa do Mundo de 2006 - Ronaldinho Gaúcho e torcedora que invadiu o gramado
Treino da Seleção Brasileira em Weggis, na Suíça, antes da Copa do Mundo de 2006 - Ronaldinho Gaúcho e torcedora que invadiu o gramado

Torcedora driblou seguranças e invadiu o gramado para abraçar Ronaldinho em Weggis, em 2006 (Foto: ANTONIO SCORZA / AFP)

+ Daniel Alves e Thiago Silva no topo! Veja quais são os brasileiros mais velhos em Copas do Mundo

Na pequena cidade suíça, de cerca de 4 mil habitantes, o Brasil perdeu o foco muitas vezes e deixou de se preparar da forma como deveria ser. Até um "Carnaval fora de época" rolou, com a presença de Neguinho da Beija-Flor.

Para este ano, na busca pelo hexacampeonato mundial, a expectativa é de que os trabalhos sejam restritamente focados. Em Turim ou em Doha, Tite sabe que a missão não é simples.