Seleção brasileira dribla centenas de torcedores na chegada ao Qatar

DOHA, QATAR (FOLHAPRESS) - No (a cada dia mais) movimentado Aeroporto Internacional de Hamad, galeses se misturavam a iranianos, rivais em campo nesta segunda-feira (21), na Copa do Mundo. O indiano Ramesh Das, 27, tirava foto com o ex-zagueiro inglês Martin Keown quando o amigo veio correndo para lhe avisar.

"Chegaram! Chegaram! Vamos."

Ramesh saiu em disparada para uma rua próxima ao hotel. O "chegaram" foi para a seleção brasileira. O ônibus que trazia a delegação aterrissou às 23h01, no horário local (17h01 de Brasília). A expectativa era que chegasse mais tarde, o que confundiu parte dos torcedores que planejava recepcioná-los no aeroporto.

"Eu torço demais para o Brasil. Gosto muito de Messi e Cristiano [Ronaldo], mas Neymar é o melhor jogador do mundo", disse Ramesh, antes de ouvir o aviso de que a seleção já estava no Qatar.

O saguão reuniu dezenas de pessoas com camisas verde e amarelo. Todas esperançosas de ver os atletas ou Tite pelo menos por alguns segundos. Não aconteceu. Jogadores e comissão entraram no ônibus ainda na pista e foram para o Westin Doha Hotel.

Centenas de fãs da equipe, brasileiros ou não, concentraram-se nas ruas em que o veículo passaria no caminho para o hotel. Não conseguiram ver ninguém, mas pelo menos tiveram a chance de acenar.

Os 26 convocados viajavam de Turim, na Itália, onde foi iniciada a fase de preparação para a estreia no Mundial, marcada para a próxima quinta-feira (24), contra a Sérvia.

"Agora são as partes de jogo, definição de equipe, estratégia, bola parada. O time vai ser decidido aqui", disse Tite, na pista do aeroporto, para a TV Globo.

O primeiro treino vai acontecer às 4h30 deste domingo (horário de Brasília) no Grand Hamad Stadium.

A seleção chegou ao hotel Westin Doha Hotel escoltada enquanto uma multidão de torcedores brasileiros e de outras nacionalidades cercavam o local.

O grupo esperou por horas os jogadores chegarem para garantir proximidade, mas um cordão humano de policiais não permitiu que se aproximassem.

Bandeirões, gritos de torcidas e instrumentos de bateria deram tom de Copa do Mundo ao local. Torcedores e fãs chegaram a subir em muros perto do local para ver melhor.

O indiano Suhail KC, 31, chegou ao hotel onde a seleção está cerca de três horas antes para ver de perto os jogadores. Ele mora em Doha há seis anos e é fã do Roberto Carlos, Ronaldo, Kaká e Neymar. Por isso, Brasil é sua seleção preferida na Copa.

"Eu gosto de futebol, eu gosto jogadores brasileiros", disse.

Na fase de grupos, o Brasil também enfrenta a Suíça, no próximo dia 28, e Camarões, em 2 de dezembro.