Seis histórias para acompanhar na temporada 2020/21 do NBB

MARCOS GUEDES
·6 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após uma temporada frustrada, que foi interrompida pelo novo coronavírus e teve de ser definitivamente cancelada por causa da pandemia, o NBB está de volta. Em sua edição 2020/21, a liga brasileira masculina de basquete conta com 16 times e luta para evitar mais problemas referentes à Covid-19. Como o momento ainda é de muitas incertezas, foi confirmada apenas a tabela do primeiro turno, que vai se estender desta terça-feira (10) até o dia 12 de janeiro. Na sequência, haverá a Copa Super 8, com os oito primeiros colocados na metade da disputa, um mata-mata que vale ao campeão vaga na Champions League das Américas. Ao menos em um primeiro momento, as partidas serão realizadas sem público e com uma série de limitações no acesso das delegações e no número de profissionais envolvidos. Para minimizar as viagens, foram definidas sete sedes nas quais serão realizadas todas as partidas: são cinco quadras na Grande São Paulo, uma no Rio de Janeiro e uma em Brasília. De acordo com a organização, haverá testagem "antes de cada viagem e a cada sequência de jogos". Isso significa um teste a cada três ou quatro dias, com isolamento em caso de resultado positivo no exame de infecção pelo coronavírus. Quando a disputa chegar à metade, os dirigentes vão reavaliar a situação. É possível que o modelo seja mantido para o segundo turno ou que o regulamento seja adaptado de acordo com o estágio na luta contra a Covid-19 no país e nas cidades envolvidas no NBB. A edição 2020/21 da competição por enquanto tem transmissões confirmadas pelo canal por assinatura ESPN e pelo serviço de transmissões online Dazn (leia mais abaixo). O primeiro dia de disputa terá Campo Mourão x Fortaleza, às 17h, no Dazn, e Flamengo x Minas, às 20h, na ESPN. Campeão em 2018/19 e líder quando o campeonato de 2019/20 foi interrompido, o Flamengo está entre os favoritos ao título nacional. Também começam o torneio com boas perspectivas Minas, Bauru e São Paulo. Confira algumas histórias em que você pode ficar de olho no NBB Uma chance para Bebê O Fortaleza resolveu apostar em Lucas Bebê, 28, pivô de 2,13 m que passou quatro temporadas na NBA. Os anos no Toronto Raptors não corresponderam à expectativa criada quando ele foi escolhido como o 16º nome no recrutamento da liga norte-americana, mas o jogador ainda é jovem e espera reviver sua carreira. Depois de deixar os Estados Unidos, ao fim do campeonato de 2017/18, o fluminense de São Gonçalo teve uma passagem também frustrante pela Espanha. Ele enfrentou problemas físicos e depressão, algo que espera deixar para trás em sua primeira experiência no NBB. "Quem me acompanha sabe como eu sofri nos últimos três anos. Foi um período bem complicado no aspecto físico e no aspecto mental. Hoje, estou tentando tirar uma lição de tudo o que aconteceu na minha vida", disse o atleta, que, talentoso, foi recentemente chamado para a seleção brasileira mesmo em inatividade há um bom tempo. Camisas pesadas Seis vezes campeão do NBB, vencedor da última temporada completa e líder do campeonato interrompido pelo coronavírus, o Flamengo leva o peso de sua camisa e o favoritismo à disputa. Reforçado, promete brigar pelo título novamente. Promete ser uma pedra no sapato rubro-negro outro clube de grande torcida no futebol, o São Paulo. A equipe do Morumbi vinha fazendo uma campanha sólida quando o esporte foi paralisado e tem elenco para retomar as atividades em alto nível. Já o Corinthians, que vinha fazendo investimentos crescentes no basquete, resolveu dar alguns passos para trás e baratear seu elenco. Tradicionalíssima no basquete, a agremiação alvinegra agora aposta em jovens para surpreender. Em busca do tri O jovem treinador Gustavo de Conti, 40, disputa o NBB com a possibilidade de ser tricampeão. Ele levantou a taça pelo Paulistano em 2017/18, triunfou com o Flamengo em 2018/19 e agora, ainda no clube rubro-negro, trabalha por seu terceiro título consecutivo. Além de manter nomes importantes de seu elenco, como o ala Marquinhos, 36, o time dirigido por De Conti buscou reforços para continuar no topo. Chegaram o experiente pivô Rafael Hettsheimeir, 34, e o armador Yago, 21, que chama a atenção pela habilidade. Comandante experiente Um dos principais concorrentes do Flamengo, o São Paulo conta com um treinador de muita história no basquetebol. Campeão mundial à frente do Sírio em 1979, Cláudio Mortari, 72, continua dando sequência à sua longa e frutífera carreira de técnico. O comandante rodado tem em suas mãos uma estrela também rodada. O ala norte-americano Shamell, que construiu boa parte de sua carreira no Brasil e é o maior cestinha da história do NBB, continua mostrando talento para buscar a redinha. Na inconclusa temporada passada, o jogador vinha registrando média de 18,8 pontos. Na luta para levar o São Paulo ao título, ele terá a companhia do armador Georginho de Paula, 24, que se destaca pela excelente forma física. Aposta na juventude Se o Flamengo e o São Paulo contam com atletas experientes, consagrados no NBB, algumas equipes resolveram apostar na juventude. Com as dificuldades financeiras impostas pela pandemia, alguns clubes tiveram de reduzir consideravelmente seus orçamentos e mudar a estratégia. O Corinthians, como já foi citado, é um desses times. Franca, Mogi das Cruzes, Paulistano e Pinheiros adotaram método semelhante na formação de seus elencos, dando particular atenção aos talentos das categorias de base. Estudante camaronês Reconhecido pelo Conare (Comitê Nacional para os Refugiados) como um refugiado no Brasil, Adrien Mouaha, 24, foi abraçado pela Unifacisa. O camaronês está estudando na universidade e faz parte de seu elenco para a temporada 2020/21 do NBB. Fora de seu país desde os seis anos, ele cresceu nos Estados Unidos e chegou a jogar basquete no Equador, onde não se habituou à altitude. Levado ao Brasil para atuar na segunda divisão paulista, chamou a atenção de equipes maiores e chegou a Campina Grande. Mouaha agora está terminando sua graduação em sistemas de informação e quer mostrar também sua habilidade dentro da quadra. "Sou muito grato pela oportunidade. Estou preparado e muito feliz por fazer parte da elite do basquete brasileiro", disse o ala-armador. O NBB 2020/21 Times participantes Bauru Brasília Campo Mourão Caxias do Sul Cerrado Corinthians Flamengo Fortaleza Franca Minas Mogi das Cruzes Pato Paulistano Pinheiros São Paulo Unifacisa Regulamento As 16 equipes se enfrentam em turno e returno. As quatro primeiras avançam diretamente às quartas de final. Aquelas classificadas entre o 5º e o 12º lugar entram na fase anterior do mata-mata. Essa primeira rodada é disputada em séries melhor de três partidas. A partir das quartas de final, os duelos são resolvidos em confrontos melhor de cinco. Transmissão Estão confirmadas, por enquanto, exibições no canal por assinatura ESPN e no serviço de transmissões pela internet Dazn. Durante a primeira fase, a ESPN terá partidas sempre às terças, às 20h. O Dazn terá um volume maior de jogos, com um total de no mínimo 140 jogos.