Seis brasileiros seguem vivos em Margaret River

Gabriel Medina é eliminado na repescagem e amarga a 25º colocação na etapa; Adriano de Souza, Filipe Toledo e Miguel Pupo vencem baterias do segundo Round

Após uma boa apresentação em Gold Coast (AUS), Gabriel Medina se despediu de Margaret (AUS) ao ser derrotado pelo australiano Jacob Willcox na repescagem. Em sua estreia na segunda etapa do Circuito, o campeão mundial de 2014 perdeu para o compatriota Jessé Mendes. Tanto Willcox quanto Mendes foram convidados para participar do torneio.

Apesar da derrota de Medina, o Brasil teve três atletas vitoriosos no segundo Round: o campeão mundial de 2015, Adriano de Souza, e os paulistas Filipe Toledo e Miguel Pupo. Mineirinho ganhou o duelo brasileiro com o potiguar Jadson André, Filipe despachou o francês Joan Duru e Pupo ganhou a última vaga para a terceira fase contra australiano Stuart Kennedy. Os três e Caio Ibelli, Ian Gouveia e Jessé Mendes, que estrearam com vitórias em na última quarta-feira, seguem na disputa do título da segunda etapa do WCT.

Foi na segunda bateria 100% brasileira em Margaret River que Adriano de Souza, campeão desta etapa em 2015, conseguiu a primeira classificação verde e amarela do dia. O mar tinha melhorado bastante, Mineirinho fez uma boa escolha de ondas e surfou bem, com segurança, para tirar quatro notas na casa dos 6 pontos. Jadson André precisou arriscar mais e viu até sua prancha ser partida ao meio pela potência das ondas. O potiguar perdeu tempo para sair do mar e trocar o equipamento, mas depois surfou suas melhores ondas. Só que Adriano respondeu com a maior nota da bateria para fechar o placar em 14,60 a 10,84 pontos.

- Fico contente pela vitória e, infelizmente, foi contra um amigo, o Jadson (André), que precisava de um bom resultado como eu, mas Graças a Deus as ondas vieram para mim. Eu já venho para cá há mais de 10 anos, então conheço bem essa onda e aqui é um lugar que você tem que estar preparado pra qualquer condição. Esse campeonato é assim, de ondas gigantes, condições extremas, então a gente já vem pra cá preparado. Na verdade, eu surfo pra passar baterias, independente dos scores, procuro sempre fazer o meu melhor e estou feliz com a vitória - disse Adriano de Souza.






Em uma bateria brasileira @MineirinhoSurf elimina @JadsonN_andre e vai para o Rd. 3 #DrugAware #MargiesPro AO VIVO: https://t.co/Qj4O2u8e9T pic.twitter.com/7GLY2QWpyK

— World Surf League (@wsl) March 30, 2017

Filipinho, que não tinha passado nenhuma bateria na Gold Coast, estreou com derrota em Margaret River. Mas, aproveitou a segunda chance de classificação para a terceira fase despachando o francês Joan Duru por 15,00 a 12,03 pontos. Sempre questionado sobre sua habilidade em surfar ondas maiores, ele competiu bem, tentando fazer o que a onda pedia, alongando as manobras com grandes cavadas para atacar forte as partes mais críticas das direitas enormes de Main Break. Ele foi construindo uma boa vantagem a cada apresentação e computou notas 7,67 e 7,33 para vencer um dos estreantes na elite deste ano.

- Sem dúvida nenhuma, o meu desempenho em mares assim é o que os juízes querem ver, então se a gente está aqui no CT, tem que estar preparado para essas condições também. E eu agradeço a Deus pela oportunidade de surfar essas ondas perfeitas e ter feito uma boa performance. Eu estava até torcendo para que as baterias hoje (quinta-feira) fossem em The Box, porque nos outros anos tive boas notas lá. É uma onda fora do comum, uma adrenalina que dura poucos segundos, mas é o melhor sentimento do mundo. Só que Main Break com as condições de hoje, é muito bom de surfar, muito perfeito e é uma sensação incrível descer uma onda enorme, fazer manobras muito grandes, é realmente incrível - disse Toledo.

Enquanto Filipe ganhou sua primeira bateria do ano, Wiggolly Dantas não conseguiu e novamente ficou em último lugar. Além dele, mais quatro surfistas passaram em branco nas duas primeiras etapas da temporada, os australianos Josh Kerr e Ethan Ewing, o italiano Leonardo Fioravanti e o francês Joan Duru. Wiggolly não achou as ondas na sua bateria e foi barrado por um dos estreantes na elite deste ano, Connor O´Leary, por 13,43 a 8,94 pontos. Além dele, o campeão mundial Gabriel Medina e o potiguar Jadson André também terminaram em 25.o lugar no Drug Aware Margaret River Pro, marcando apenas 500 pontos no ranking e recebendo 10.000 dólares pela participação.

Favoritos eliminados

Além de Gabriel Medina, outros favoritos foram eliminados. O vice-líder do ranking, Matt Wilkinson, perdeu o segundo duelo do dia para o norte-americano Nat Young, que está substituindo o contundido Ítalo Ferreira nessa etapa. Na bateria seguinte, Owen Wright, com sua lycra amarela, espantou a zebra derrotando o havaiano Ezekiel Lau por uma pequena diferença de 14,40 a 13,00 pontos.

Também por pouco, o tricampeão mundial Mick Fanning foi barrado pelo jovem americano Kanoa Igarashi, por apenas um centésimo de vantagem no placar encerrado em 12,77 a 12,76 pontos. Já a melhor bateria do dia foi a do português Frederico Morais com o australiano Adrian Buchan. Ambos surfaram grandes ondas e ganharam as maiores notas do dia. A do português foi 8,57 e a do australiano um pouco melhor, valeu 8,83 que somou com o 7,67 da sua última onda para atingir 16,50 pontos. Frederico computou um 6,93 e totalizou 15,50, que seriam suficientes para vencer dez das doze baterias disputadas na quinta-feira.

Terceiro Round será disputado nesta quinta-feira

Os seis brasileiros que seguem vivos na disputa pelo título entram na água nesta sexta-feira. A primeira chamada é às 20h (horário de Brasília). Cinco surfistas nacionais encaram australianos, salvo Jessé Mendes, que encara o sul-africano, Jordy Smith.

Confira os confrontos:


1: Kelly Slater (EUA) x Jack Freestone (AUS)
2: Julian Wilson (AUS) x Miguel Pupo (BRA)
3: Owen Wright (AUS) x Ian Gouveia (BRA)
4: Michel Bourez (TAH) x Kanoa Igarashi (EUA)
5: Conner Coffin (EUA) x Adrian Buchan (AUS)
6: John John Florence (HAV) x Jacob Willcox (AUS)
7: Jordy Smith (AFS) x Jessé Mendes (BRA)
8: Sebastian Zietz (HAV) x Caio Ibelli (BRA)
9: Adriano de Souza (BRA) x Bede Durbidge (AUS)
10: Joel Parkinson (AUS) x Jeremy Flores (FRA)
11: Filipe Toledo (BRA) x Connor O’Leary (AUS)
12: Kolohe Andino (EUA) x Nat Young (EUA)



























E MAIS: