'Se os índices piorarem em 2 semanas, nós vamos voltar a fechar os estabelecimentos', diz Covas

Yahoo Notícias
Covas afastou a possibilidade de colapso no sistema de saúde da capital, mas anunciou que pode recuar na reabertura. (Foto: Reprodução/CNN Brasil)
Covas afastou a possibilidade de colapso no sistema de saúde da capital, mas anunciou que pode recuar na reabertura. (Foto: Reprodução/CNN Brasil)

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou que a cidade poderá voltar a fechar os comércios e shoppings, reabertos nesta quinta-feira (11), caso os índices do novo coronavírus piorarem e indicarem um avanço da doença na capital.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Se daqui a duas semanas os índices piorarem, vamos ter que voltar a fechar o comércio. A população precisa entender que a pandemia não acabou na cidade. Não é porque chegamos nesse momento que já vencemos a pandemia. Mas não tinha sentido nenhum a população se sacrificar, ficar em casa, a cidade atingir um número e uma situação favorável e não discutirmos a reabertura na cidade de São Paulo”, afirmou Covas, em entrevista ao programa CNN 360, na CNN Brasil.

Leia também

São Paulo e Rio de Janeiro reabrem parcialmente seus comércios populares e grandes shoppings nesta quinta. Também nesta quinta, o estado de São Paulo ultrapassou o patamar de 10 mil óbitos em decorrência da doença.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Os estabelecimentos pequenos e médios em São Paulo funcionam em horário restrito das 6h às 10h. Algumas medidas obrigatórias para o funcionamento são: medição de temperatura e uso de máscaras. Já os shoppings de grande porte tiveram o horário de funcionamento definido das 16h às 20h.

No entanto, pela manhã, as ruas do bairro do Brás e Mooca, na capital paulista, estavam tomadas por comerciantes ambulantes e clientes, onde também foram registrados engarrafamentos devido ao movimento.

Na avaliação de Covas, essas aglomerações não conduzirão São Paulo de volta ao pico da pandemia se os comerciantes e populações seguirem os protocolos aprovados pela Vigilância Sanitária e medidas de distanciamento social.

“Se os comerciantes seguirem os protocolos que enviaram à Vigilância Sanitária, se a população mantiver as preocupações, nós vamos evitar um segundo pico na cidade. Não tem sentido esperar a pandemia acabar para depois falarmos em reabertura”, disse ele.

O prefeito ainda afastou o risco de colapso no sistema de saúde da capital com base na expansão do número de leitos de UTI e de enfermaria aos pacientes com Covid-19.

“Nesses 3 meses em que as pessoas ficaram em casa, sem trabalhar, a prefeitura expandiu o número de leitos no sistema de saúde. Pedimos para que ficassem em casa para termos tempo de ampliar os leitos e tratar todo mundo. Acho difícil um colapso no sistema a partir de agora”, finalizou Covas.

Leia também