'Se houver nova data de eleição no Vasco, não me candidato', diz Leven

LANCE!
·2 minuto de leitura


Primeiro colocado na tumultuada eleição do Vasco, realizada no último sábado, Leven Siano foi veemente quanto aos desdobramentos em torno da política do clube. Em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, na Barra da Tijuca (Zona Oeste do Rio de Janeiro), o candidato da chapa "Somamos" falou sobre a possibilidade de uma nova eleição acontecer no dia 14 de novembro.

- Para mim a eleição está encerrada, porque eu me recuso a participar de qualquer outra eleição. Se o resultado for de outra eleição o vascaíno terá um outro presidente que não sou eu. Eu aposento nesse momento da política do Vasco. Me recuso a me desrespeitar e a desrespeitar os associados do Vasco - e e emendou:

- Eu não vou me submeter a outra eleição! Eles (os demais candidatos) têm de mostrar o quanto eles amam o Vasco! - complementou.

Leven também ironizou a chapa Sempre Vasco, que tem cédulas amarelas e falou sobre a decisão do STJ na noite do último sábado.

- O Julio já sabia da decisão (judicial) muito antes. Aí falou: "vamos melar". Tem alguém aí da Globo? Olha, eles têm que pedir qual vai ser a música tocada no "Fantástico". Terceira vez que perdem: sugiro "Sítio do Pica-Pau Amarelo" - disse.

Leven Siano criticou o imbróglio em torno da eleição e disse que "fechará um capítulo" sobre a decisão de Faues Mussa.

- A liminar era para proteger com problema do Covid-19. A eleição já foi feita. A ação do Mussa já perdeu o objeto. A eleição já foi consumada. Vamos fechar um capítulo. Se porventura não for, a força política nesse tráfico de influência, se querem o poder pelo poder, estou fora disso. Não está prevista eleição online no estatuto do Vasco - e ressaltou:

- Em vez de serem felizes de uma eleição de forma direta, só interessa se ganha? É a primeira eleição democrática para presidente. É a primeira eleição direta! Na primeira eleição direta, é muito triste termos este tipo de imbróglio - criticou.