São Paulo sondou ex-palmeirense Valdivia, que planeja voltar ao Brasil em julho

Jorge Nicola
Valdivia, de 33 anos, jogou apenas 41 partidas pelo Al-Wahda desde 2015 (Divulgação/Al-Wahda)

Não foi apenas o Santos quem procurou Valdivia no início desta temporada. O ex-jogador do Palmeiras também conversou com a diretoria do São Paulo. Nos dois casos, o negócio não avançou porque o meia chileno tem R$ 5 milhões a receber até o fim do contrato com o Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos – o valor se refere a salários e algumas pendências dos árabes.

Para fechar com Peixe ou Tricolor, Valdivia teria de abrir mão de todo esse dinheiro. Os dois grandes de São Paulo não estavam dispostos a cobrir o prejuízo que o meia teria com a rescisão antecipada. Importante: o vínculo do Mago termina em junho, quando ele fica livre para jogar onde quiser.

As conversas com os dois clubes paulistas foram intermediadas pela OTB Sports. Valdivia já poderia até assinar um pré-contrato com qualquer interessado, mas preferiu adiar uma definição. A tendência é que a negociação seja retomada a partir nas próximas semanas. O detalhe é que Valdivia quer muito voltar ao Brasil.

O São Paulo foi o primeiro a procurar mais detalhes sobre o futuro do chileno. Dias depois, o Santos também se interessou e agiu muito mais rápido. A ponto de o presidente Modesto Roma e o técnico Dorival Júnior terem ligado para o jogador, a fim de mostrar que ele seria extremamente importante no esquema do time.

Por decisão de Valdivia, não houve sequer contato com o Palmeiras sobre a possibilidade de um retorno. É que o meia, que disputou 200 jogos e marcou 28 gols com a camisa alviverde, tem péssimo relacionamento com a atual diretoria e briga na Justiça com o ex-clube para receber a comissão de R$ 166 mil devida a seu pai, que intermediou seu retorno ao Palestra Itália em 2010.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: