São Paulo não corre mais risco de colapso na saúde, diz secretário de Bruno Covas

Yahoo Notícias
Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images
Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images

A cidade de São Paulo não corre mais risco de colapso no sistema de saúde, mesmo diante do avanço da pandemia do novo coronavírus. Quem garante é o secretário municipal Edson Aparecido, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

De acordo com dados da Secretaria de Saúde, a capital paulista passou de 350 pedidos diários de internação no fim de abril para 39 solicitações, número registrado nesta segunda-feira (08).

Leia também

Na visão de Aparecido, a estabilização desse número é um fator promissor, mais ainda do que a taxa de ocupação dos leitos de UTI.

“As pessoas estão chegando menos agravadas, diferente daquilo que aconteceu em abril, quando já chegavam ao hospital precisando intubar. A gente não corre mais risco de colapso no sistema de saúde da cidade. Isso está completamente afastado. Todo mundo que precisar de leito, vai ter leito para ser tratado como teve até agora. Tanto pela ampliação, quanto agora pela redução da demanda", disse o secretário à rádio.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

A declaração do secretário vem no dia em que o prefeito Bruno Covas (PSDB) fala em reabrir os shoppings da capital paulista.

Na última semana, São Paulo registrou 601 óbitos, além de 16.071 casos confirmados. Desde o início da pandemia, a cidade registra mais de 4.900 mortos. O Estado de São Paulo, por sua vez, totaliza mais de 9 mil vítimas da Covid-19.

"Se a gente confirmar esses números por mais uma semana, talvez o mais difícil da pandemia tenha passado. Mas enfim, tem que esperar para ver se é uma tendência definitiva. Vamos ver agora com os movimentos de flexibilização. Tem que ficar de olho para não ter revés", ponderou.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também