São Paulo pode perder 3ª promessa da base em um ano

Com multa de R$ 114 milhões, Cipriano pode assinar pré-contrato em março (Rubens Chiri/SPFC)

João Schmidt pode não ser a única promessa revelada nas categorias de base a deixar o São Paulo de graça. Eder Militão, titular absoluto do time principal, e Marquinhos Cipriano, um dos maiores artilheiros de Cotia, ainda não tiveram seus contratos renovados e ficam livres para assinar pré-contrato com quaisquer interessados em 2018.

Um dos seis brasileiros na lista dos 100 melhores jogadores sub-19 do mundo, de acordo com a revista Four Four Two, Marquinhos Cipriano só tem vínculo com o Tricolor até setembro, ou seja, pode acertar sua saída a partir de março. O garoto de 18 anos tem várias sondagens de clubes brasileiros e está na mira da Lazio-ITA e do Arsenal-ING.

A renovação de Cipriano está emperrada por causa do Desportivo Brasil, clube que detém 20% de seus direitos econômicos. O atacante era dono de 20% do valor de uma futura venda e reclama que não recebeu qualquer centavo na transferência para o São Paulo, que custou R$ 1 milhão, em 2015 – o Tricolor adquiriu 70% dos direitos econômicos na oportunidade.

O jovem, autor de 42 gols na temporada passada, se sentiu enganado e só aceitará prorrogar o vínculo se for ressarcido. Em fase final de recuperação, após lesão sofrida no amistoso com o São Caetano, Cipriano ficou de fora da Copa Ipiranga, torneio em que foi campeão e vice-artilheiro em 2016. Seu retorno está previsto para a Copa São Paulo de juniores.

Já o caso de Militão foi revelado com exclusividade pelo Blog há uma semana. O volante, que tem atuado como lateral-direito e zagueiro titular no time de Dorival Júnior, está vinculado ao Tricolor até dezembro de 2018 e pode assinar um pré-contrato a partir de julho. O problema é que ele tem conversas avançadas com Juventus-ITA e Chelsea-ING – seu empresário, Giuliano Bertolucci, foi procurado pelos gigantes europeus, que o querem de graça.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: