São Paulo foi seguro e eficiente. Corinthians caiu na real

Alexandre Praetzel
·2 minuto de leitura
Pablo comemora o gol que abriu o placar para a segunda vitória do São Paulo na Libertadores da América. Foto: Marcello Zambrana/AGIF
Pablo comemora o gol que abriu o placar para a segunda vitória do São Paulo na Libertadores da América. Foto: Marcello Zambrana/AGIF

O São Paulo não fez muito esforço para fazer 2 a 0 sobre o Rentistas, chegando a seis pontos em dois jogos, na Libertadores da América. O tricolor dominou os 95 minutos e não foi ameaçado em nenhum momento pelo time uruguaio. Crespo manteve a ideia tática do primeiro confronto, em Lima, e viu mais uma atuação eficiente. 

O primeiro tempo foi mais difícil do que o segundo, pela postura do Rentistas, marcando o campo todo e tirando os espaços da armação são-paulina. Daniel Alves e Reinaldo não foram muito acionados e o meio-campo ficou travado. Na única jogada criada, Benítez tocou para Daniel Alves, que achou Pablo livre para abrir o placar. Na segunda etapa, o SP foi beneficiado com a expulsão de Acosta e comandou a partida sem sustos, até marcar de pênalti bem batido por Reinaldo. O São Paulo vai se classificar e polarizar o grupo com o Racing, vice-líder com quatro pontos. Os dois ainda se enfrentarão duas vezes. 

Na Copa Sul-Americana, o Corinthians caiu na real e perdeu por 2 a 0 para o Penharol. A situação corintiana ficou delicada porque os uruguaios foram a seis pontos contra um do Corinthians. Só o campeão do grupo passa para as oitavas-de-final. 

Vagner Mancini preferiu um meio-campo mais lento e foi envolvido pelo adversário. Cássio evitou um escore mais dilatado contra uma equipe equilibrada, mas sem muita técnica. O confronto serviu para o Corinthians cair na real, com muitas dificuldades sobre times bem formatados. Ou Mancini mantém o aproveitamento maior da base ou verá o Corinthians sofrer nos torneios mais importantes, com pouca velocidade e intensidade.  

Apesar da pressão, não adianta demitir Mancini. O treinador é um profissional adequado para o momento complicado e deve priorizar o Campeonato Paulista, única competição onde o Corinthians tem chances de conquistar. Afinal, quem faria esse elenco do Corinthians jogar mais?