São Paulo corre risco de perder de graça promessa de Cotia

Jorge Nicola
·1 minuto de leitura
Rodrigo, com a camisa 32, comemora seu 1º gol no profissional após bater pênalti. Na base, ele marcou cinco vezes na marca da cal (Rubens Chiri/São Paulo)
Rodrigo, com a camisa 32, comemora seu 1º gol no profissional após bater pênalti. Na base, ele marcou cinco vezes na marca da cal (Rubens Chiri/São Paulo)

Depois da longa novela envolvendo Rodrigo Nestor, que terminou com final feliz, a diretoria do São Paulo já tem outro abacaxi para descascar. É que o zagueiro Rodrigo, autor do primeiro gol na vitória contra o Ituano, no domingo, só tem contrato com o Tricolor até dezembro.

Ou seja, o atleta, de 22 anos, já poderá assinar pré-contrato com qualquer clube a partir de 1º de julho para deixar o Morumbi de graça no início do próximo ano.

O Blog apurou que o São Paulo já fez uma primeira proposta para a prorrogação do vínculo, porém, os números não agradaram os representantes do defensor e a negociação voltou à estaca zero.

Rodrigo chegou ao Tricolor aos 14 anos de idade, passou por todas as categorias de base e chegou a atuar por empréstimo no Portimonense - em Portugal, o atleta atuou em 12 partidas e só não ficou em definitivo porque o São Paulo recusou a oferta.

O fato de ter sido convocado com frequência para as categorias de base da seleção torna Rodrigo ainda mais valorizado no mercado. Técnico da equipe olímpica do Brasil, André Jardine chegou a relacionar o zagueiro para jogos na temporada passada.