São Paulo atropela Santos no físico e na técnica

Alexandre Praetzel
·2 minuto de leitura
Pablo fez um bonito gol e teve boa atuação no clássico. Foto: Ettore Chiereguini/AGIF
Pablo fez um bonito gol e teve boa atuação no clássico. Foto: Ettore Chiereguini/AGIF

O São Paulo foi muito superior ao Santos no segundo tempo do clássico Sansão e goleou por 4 a 0, com méritos totais. Na primeira etapa, o Santos teve mais controle no gramado encharcado, mesmo com um time menos físico do que o tricolor. O esquema com três zagueiros deixou o SP muito atrás e o Santos se aproveitou com Soteldo levando vantagem e incomodando a defesa são-paulina. Ainda assim, Volpi não fez nenhuma intervenção. 

No intervalo, Crespo sacou Arboleda e colocou Rojas. O equatoriano jogou aberto em cima de Felipe Jonathan, contando com o auxílio de Igor Vinícius, no dois contra um. Pablo também foi bem, saindo mais da área e abrindo espaços para os outros companheiros. O São Paulo abriu o placar numa bola aérea com Sara e depois matou o jogo com Luciano e dois golaços de Pablo e Tchê Tchê. O time de Crespo foi bem maior fisicamente e tecnicamente em relação ao Santos. 

Óbvio que o trabalho está no início e o SP já teve começos parecidos, sem títulos confirmados. Crespo deu mais atitude e força para a equipe, que chegou a nove gols em três partidas. Uma boa impressão, sem dúvida, ainda com um longo caminho pela frente. 

No Santos, Ariel Holan estreou e viu seu jovem elenco sucumbir depois de levar o primeiro gol. O novo comandante santista terá que ter paciência com a falta de experiência da molecada, mesmo que haja qualidade no grupo. Pareceu que Holan preferiu observar mais a postura dos garotos, ao invés de se preocupar com a parte tática. 

Terça-feira, o Santos estreia na pré-Libertadores contra o Deportivo Lara, da Venezuela. O Santos terá que ser bem diferente para evitar surpresas.