Santos visita a Ponte no duelo mais equilibrado das quartas do Paulistão

A arrastada fase de grupos acabou e finalmente o Campeonato Paulista vai começar de verdade para o Santos. E após sofrer no início e só conseguir a classificação faltando uma rodada, o Peixe não terá descanso e vai encarar a maior pedreira possível nas quartas de final. Isso porque a Ponte Preta, rival deste sábado, às 16h (de Brasília), no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, conquistou os mesmos 22 pontos do alvinegro no grupo D e será o adversário mais complicado dos times grandes do estado.

O equilíbrio entre as duas equipes não fica só no papel. Afinal, além da pontuação igual na fase de grupos, Santos e Ponte já vêm travando outros bons duelos nas últimas temporadas. Levando em consideração apenas o Paulistão, os dois clubes contabilizam uma vitória para cada lado desde 2013.

Quando os números são gerais, a paridade não muda muito. Isso porque na última temporada, o Peixe venceu os três jogos que fez contra a Macaca. Porém, em 2015, foi o time de Campinas que passou o ano inteiro sem perder para o alvinegro da Vila, com dois triunfos e um empate.

“Olhem os números da Ponte Preta. Isso não nos deixa nenhuma dúvida (de que é o rival mais difícil). Estávamos no grupo mais equilibrado até três rodadas. Ficamos até a última rodada brigando pela posição. A Ponte é um time que se reinventa muito fácil. Mudam os nomes, mas eles mantêm o ritmo de trabalho. Tenho muito respeito e também expectativa de que tenhamos dois bons jogos contra eles”, ressalta o técnico Dorival Júnior.

E para acabar de vez com essa igualdade e ainda dar um grande passo para as semifinais, o comandante alvinegro pretendia ter força máxima neste sábado. Porém, o treinador não contará com o lateral-esquerdo Zeca.

O jovem 22 anos teve constatado um edema muscular na coxa direita e não viajará para Campinas. Por conta disso, o meia Jean Mota, improvisado pela esquerda, vai seguir na posição. O camisa 39, inclusive, atuou como lateral na vitória santista sobre o Novorizontino, na última quarta-feira, na Vila Belmiro.

Depois de poupar os titulares contra o Tigre de Novo Horizonte, o alvinegro voltará a entrar em campo com seus principais atletas diante da Ponte, apenas com a ausência de Zeca. No sábado, em Campinas, o time entrará em a campo com: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.

Ponte embalada

Se o Santos vem de três vitórias seguidas pela primeira vez no ano, a Ponte Preta também chega em boa fase para as ‘decisões’ dos próximos finais de semana. Isso porque a Macaca vem de três jogos sem derrota, sendo que o último foi uma vitória sobre o ‘badalado’ Palmeiras, em Campinas.

“Um jogo desses nos dá confiança, aumenta a autoestima de todos, mas não podemos nos empolgar. Não vamos achar que uma vitória como essa já está tudo certo. Temos que ter euforia no momento certo. Ser uma equipe com os pés no chão, forte do jeito que foi. A gente sabe que vai enfrentar equipes qualificadas daqui para a frente. Só não vou fazer o monstro maior do que ele já é. Vou dar confiança para a equipe, melhorar algumas situações”, explica o técnico Gilson Kleina.

E para o duelo contra o Peixe, o comandante da Macaca ainda tem dúvidas sobre qual time levará para dentro de campo. Os dois retornos confirmados são de Yago e Fernando Bob, poupados diante do Verdão por estarem pendurados. Em contrapartida, o meia Renato Cajá, que voltou e já foi apresentado, segue como dúvida.

Como o ‘novo velho’ reforço chegou apenas na última quinta-feira e não vinha jogando no Bahia, a tendência é que ele permaneça no banco e entre no decorrer da partida. E na lateral esquerda, o treinador aguarda a situação de Jeferson, que saiu no intervalo na última quarta com um incômodo muscular. Caso ele não tenha condições, a opção será Reynaldo, que é zagueiro de origem, mas pode atuar pelo lado do campo.

Por fim, Kleina também não sabe será colocará uma formação mais recuada, valorizando a participação de Wendel. Caso isso aconteça, Ravanelli ou um dos três atacantes (Clayson, Pottker e Lucca) perderia a vaga.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA X SANTOS

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)

Data: 01 de abril de 2017, sábado

Horário: 15h (de Brasília)

Árbitro: Salim Fende Chavez

Assistentes: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Bruno Salgado Rizo

PONTE PRETA: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Yago e Reynaldo (Jeferson); Fernando Bob, Elton e Wendel (Ravanelli ou Renato Cajá); Clayson, Lucca e Pottker.

Técnico: Gilson Kleina

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique, Vitor Bueno e Ricardo Oliveira.

Técnico: Dorival Júnior