Santos terá quatro técnicos em um mesmo ano pela primeira vez desde 89

·1 minuto de leitura


Depois de 32 anos, o Santos terá quatro treinadores efetivos (sem contar interinos) no mesmo ano. Após a demissão de Fernando Diniz ainda no domingo, o Peixe negocia a contratação de Fábio Carille e espera chegar a um acordo ainda nesta terça-feira.

O Peixe começou o ano com o técnico Cuca, que deixou o clube após o Brasileirão de 2020 (encerrado em fevereiro). Para o início da temporada 2001, o Santos apostou no argentino Ariel Holan, mas o treinador pediu demissão após a derrota no clássico diante do Corinthians.

A última vez que o clube foi comandado por quatro técnicos diferentes no mesmo ano foi em 1989. Marinho Peres comandou o Santos nos primeiros amistoso, mas pediu demissão antes do início do Campeonato Paulista. Raul Pratalli assumiu interinamente, mas passou a ser efetivo. Ele, no entanto, foi trocado por Nicanor de Carvalho, que saiu para a entrada ao Pepe. As informações são da Assophis (Associação dos Pesquisadores e historiadores do Santos).

Em 2021, o Santos ainda teve Marcelo Fernandez como técnico interino antes da estreia de Ariel Holan e de Fernando Diniz. Pela nova regra de troca de treinadores da CBF, o Peixe, caso demita o próximo treinador, terá de terminar o Brasileirão com um profissional do clube na função.

Confira o número de jogos de cada treinador do Santos em 2021

Cuca - 5 vitórias, 4 empates e 5 derrotas - 45,2% de aproveitamento
Marcelo Fernandes (interino) - 2 vitórias, 3 empates e 2 derrotas - 42,8% de aproveitamento
Ariel Holan - 4 vitórias, três empates e cinco derrotas - 41,6% de aproveitamento
Fernando Diniz - 11 vitórias, oito empates e 12 derrotas - 44% de aproveitamento

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos