Santos terá força máxima diante do Juventude e do risco de rebaixamento

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.01.2019: O técnico Fábio Carille, atualmente treinador do Santos. (Foto: Karime Xavier/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.01.2019: O técnico Fábio Carille, atualmente treinador do Santos. (Foto: Karime Xavier/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Fábio Carille teve uma semana livre para trabalhar com o elenco do Santos pela primeira vez desde que foi contratado pelo clube, há cerca de duas semanas. O período foi útil para o treinador não só pela chance de conhecer melhor os jogadores, como para ter à disposição os atletas que se recuperaram de lesões.

Com os retornos de Madson e Carlos Sánchez, o técnico terá força máxima no duelo contra o Juventude neste domingo (26), em um confronto direto para se distanciar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A partida no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, às 16h, terá transmissão da Globo e da TNT.

Os santistas estão na 14ª posição e somam 24 pontos, apenas um a mais do que o adversário, que está em 17º, já na parte vermelha da tabela. Bahia e América-MG, empatados com 23, aparecem logo atrás do time paulista, em 15º e 16º. Os dois também jogam neste domingo, respectivamente, contra Internacional e Flamengo.

O fraco desempenho no Nacional, além dos fracassos nos torneios mata-matas, principalmente a queda recente na Copa do Brasil, aumentaram a pressão sobre o elenco santista, que não vence há nove jogos. A última vitória ocorreu diante do Libertad (PAR), por 2 a 1, na Vila, no jogo de ida pelas quartas de final da Sul-Americana.

Na volta, perdeu por 1 a 0 e acabou eliminado pelo critério do gol marcado pelos paraguaios como visitantes.

A sequência provocou protestos dos torcedores no CT Rei Pelé e até uma emboscada para o elenco logo após a desclassificação no mata-mata nacional, diante do Athletico. Durante esta semana livre, contudo, Carille conseguiu ter um período de certa tranquilidade para trabalhar.

Sánchez acredita que isso poderá fazer a diferença. "Foi importante para nos adaptarmos rápido à ideia e ao sistema que o Carille quer. Com trabalho e dedicação, podemos fazer um grande jogo. É um jogo muito importante, sem pensar no que já passou, mas sim em jogar e ganhar, é o que o treinador pede", disse.

Este será o quarto jogo do técnico à frente do Santos. Por enquanto, ele acumula dois empates em jogos pelo Brasileiro (Bahia e Ceará), além da derrota para o Athletico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos