Santos tenta marca diante do São Paulo, que vive jejum em clássicos

CLAUDINEI QUEIROZ
Folhapress
SANTOS, SP, 15.11.2019 - TREINO-SANTOS - O técnico Jorge Sampaoli durante treino do Santos no CT Rei Pelé, na Baixada Santista, na manhã desta sexta-feira (15). A equipe enfrenta o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro. (Foto: Guilherme Dionizio/Folhapress)
SANTOS, SP, 15.11.2019 - TREINO-SANTOS - O técnico Jorge Sampaoli durante treino do Santos no CT Rei Pelé, na Baixada Santista, na manhã desta sexta-feira (15). A equipe enfrenta o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro. (Foto: Guilherme Dionizio/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Santos e São Paulo fazem neste sábado (16), às 17h, o último clássico paulista na temporada. E o duelo na Vila Belmiro marca uma disputa de fases opostas das duas equipes. Se a vitória pode deixar o time alvinegro mais próximo da vaga na fase de grupos da Libertadores, ela também manteria o clube tricolor no G-6.

Mas as semelhanças param por aí, uma vez que o time de Fernando Diniz vem de duas derrotas seguidas em casa —para Fluminense e Athletico-PR— e vê ameaçada sua posição no grupo que vai à fase preliminar do torneio continental.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Além disso, outra diferença é que o time da Baixada Santista pode se tornar o rei dos clássicos nesta temporada caso vença o arquirrival. O grupo de Jorge Sampaoli disputou dez clássicos no ano, com quatro vitórias, três empates e três derrotas, o que dá um aproveitamento de 50%. Em caso de vitória diante dos são-paulinos, o aproveitamento subirá para 54,5%.

Quem vem a seguir é o Corinthians, que tem 51,2%: 13 jogos, com 5 vitórias, 5 empates e 3 derrotas, sendo duas delas para o Santos.

O Palmeiras vem logo a seguir com 45,4% de eficiência, obtidos em 11 duelos, com 3 vitórias, 6 empates e 2 derrotas nos dérbis.

Já o São Paulo tem o pior aproveitamento do ano nos clássicos paulistas. Em 12 jogos, a equipe tricolor obteve apenas 2 vitórias, 4 empates e 6 derrotas: aproveitamento de 27,7% dos pontos.

Na verdade, não é de hoje que o São Paulo sofre quando precisa enfrentar seus arquirrivais do estado. Na última terça-feira (12), completou-se mil dias da última vitória do clube tricolor como visitante em clássicos.

E aquela conquista foi justamente contra o Santos, no dia 15 de fevereiro de 2017, quando o time então comandado por Rogério Ceni venceu por 3 a 1, com gols de Cueva, hoje afastado do Santos, e Luiz Araújo (2). Copete descontou.

Naquela oportunidade, o time da capital acabou com um período de seis anos de invencibilidade do Santos em casa no Campeonato Paulista. Desde então, o São Paulo já disputou 17 clássicos como visitante, com 13 derrotas e apenas 4 empates.

Agora, com a pressão para acabar com a crise e se manter no G-6, o time tricolor conta com mais uma estatística: a de ter a melhor defesa do Brasileiro, com apenas 23 gols sofridos em 32 jogos. Se conseguirem segurar a força do ataque santista, que já marcou 48 gols no Nacional, contra 32 do rival, Tiago Volpi, Arboleda e companhia torcerão para o ataque funcionar.

Da mesma forma, o Santos, que não terá Soteldo, a serviço da seleção venezuelana, deve manter seu DNA ofensivo, partindo para cima do rival para manter o status de rei dos clássicos. Emoção não deve faltar na Vila Belmiro.


SANTOS

Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Alison, Carlos Sánchez e Evandro; Marinho, Eduardo Sasha e Tailson. T.: Jorge Sampaoli


SÃO PAULO

Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Jucilei, Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Pablo e Vitor Bueno. T.: Fernando Diniz


Estádio: Vila Belmiro, em Santos (SP)

Horário: 17h deste sábado

Juiz: Flávio Rodrigues de Souza (SP)

Leia também