Santos tem time para a fase de grupos da Libertadores, mesmo sem reforços

Alexandre Praetzel
·1 minuto de leitura
Soteldo fez o gol do Santos, garantindo a classificação para a terceira fase da Libertadores da América. Foto: Marcello Zambrana/AGIF
Soteldo fez o gol do Santos, garantindo a classificação para a terceira fase da Libertadores da América. Foto: Marcello Zambrana/AGIF

O Santos conseguiu seu primeiro objetivo na Libertadores da América, chegando à terceira fase do torneio. O empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara-VEN, em Caracas, foi suficiente para o time conseguir a classificação. Claro que o desempenho ainda é discutível, num momento de reconstrução do clube. 

A diretoria tem sido muito transparente no contato com sócios e torcedores, escancarando a grave crise financeira. Óbvio que isso tem consequências na formação do elenco. Ariel Holan parece muito consciente do seu desafio e tem feito o esperado: botar a molecada para jogar. Se esse é o planejamento imediato, então que seja cumprido. 

Talvez, em condições normais e com a escalação do vice-campeonato de 2020, o Santos não tivesse dificuldades contra o limitado adversário venezuelano. A vaga foi muito mais importante do que qualquer avaliação sobre desempenho. 

O Santos tem que disputar a Libertadores entre os melhores. Para atingir esse objetivo, não haverá facilidades. San Lorenzo ou Universidad do Chile são oponentes mais qualificados e difíceis. Como os próximos confrontos serão apenas no início de abril, Holan terá tempo para aumentar os testes e encorpar os titulares. 

Assim como em 2020, o Santos entra como franco-atirador, mantendo sua incrível capacidade de regeneração. Nunca dá para duvidar do Santos! Fato.