Santos sente jejum de Oliveira e tem pior média de gols em nove anos

Principal esperança ofensiva do Santos, Ricardo Oliveira tem encontrado dificuldade para balançar as redes em 2017. Até o momento, o atacante só deixou sua marca duas vezes em 10 jogos. O baixo aproveitamento do centroavante reflete nos números do Peixe na temporada. Em 18 partidas oficiais, o alvinegro marcou 29 tentos (1,61 gol por duelo). Essa é a pior média do clube desde 2008, ano que foi eliminado do Campeonato Paulista ainda na primeira fase e fez apenas 24 gols no período.

Porém, não é só o camisa 9 que anda de mal com as redes. O ataque inteiro do alvinegro tem feito poucos gols no ano. Os companheiros o centroavante, Bruno Henrique e Vitor Bueno, são os artilheiros do Santos na temporada, com quatro tentos anotados em 16 partidas disputadas.

Há 44 dias sem marcar (última vez foi contra o Palmeiras, em março), Ricardo Oliveira terá mais uma chance para acabar com o jejum nesta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), quando o Santos encara o Independiente Santa Fe, no Pacaembu, pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

“O Ricardo é experiente, decisivo, gosta desses jogos, com Pacaembu cheio e pressão. Ele é acostumado. Todos passam por esse momento. Ele tem aberto espaço para os outros. Ele mesmo fala que está aqui para fazer gols e estamos aqui para ajudá-lo. Espero que volte a fazer gols na quinta”, explicou o lateral-direito Victor Ferraz.

Com cinco pontos, o Santos é o líder do grupo 2 da Liberta. Santa Fe e The Strongest estão empatados com quatro pontos cada. Porém, o time de Bogotá é o segundo pois tem um saldo maior. Já o Sporting Cristal é o lanterna, com dois pontos conquistados.

Uma vitória sobre os colombianos deixa a equipe comandada por Dorival Júnior em uma situação bem confortável para alcançar a vaga nas oitavas de final do torneio.