Santos perde no Equador e está eliminado da Copa Libertadores

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O sonho do Santos de se classificar para as oitavas de final da Copa Libertadores durou 2 minutos e 38 segundos nesta quarta-feira (26). Foi o tempo que o Boca Juniors levou para fazer o primeiro gol contra o The Strongest (BOL), em La Bombonera,

Era o fim. Restava ao time brasileiro se preparar para ao destino reservado para o terceiro colocado da chave: a Copa Sul-Americana.

Para se classificar entre os dois melhores do Grupo C, o Santos precisava derrotar o Barcelona (EQU) e esperar que o Boca Juniors não derrotasse os bolivianos.

Em Guayaquil, a equipe brasileira perdeu por 3 a 1 mostrando um futebol sofrível. Os argentinos ganharam por 3 a 0 e avançaram para o mata-mata, ao lado do Barcelona.

Foi a primeira vez que o Santos acabou eliminado na fase de grupos da Libertadores desde 1984. Naquele ano, foi lanterna em grupo que tinha Flamengo, América de Cáli e Junior de Barranquilla (ambos da Colômbia). Mas naquela época, se classificava apenas o primeiro colocado.

O time foi dirigido na Colômbia pelo auxiliar Márcio Araújo. O técnico Fernando Diniz foi suspenso por dois jogos pela Conmebol após ser expulso em sua estreia, diante do Boca. Enquanto a equipe esperava a hora da partida, a diretoria tentava viabilizar contratações esperadas pelo treinador.

As primeiras delas poderão ser o lateral esquerdo Moraes, que jogou o último Campeonato Paulista pelo Mirassol, e o meia-atacante Marcos Guilherme, do Internacional-RS. O clube também negocia o empréstimo do armador Paulo Henrique Ganso, revelado na Vila Belmiro e hoje reserva no Fluminense.

Com problemas de marcação e erros na saída de jogo, o Santos levou o primeiro gol aos 14, quando Damián Díaz completou cruzamento com arremate de primeira. Com controle na partida, os donos da casa poderiam ter anotado mais duas vezes antes do intervalo, mas falharam nas finalizações.

Pagaram pelos erros porque, nos 10 minutos finais, os visitantes cresceram de produção, mas sem entrarem na área, Luan Peres ameaçou com finalização de longe.

Pouco depois, aos 46, o goleiro Burrai falhou e largou chute de Lucas Braga, que fez bela jogada individual, nos pés de Kaio Jorge. O atacante tocou para o gol.

Foi uma esperança breve porque, oito minutos após o reinício o time equatoriano estava novamente na frente em lance que o lateral Felipe Jonatan desistiu da marcação de Hoyos. Ele cruzou para Damian Díaz marcar de novo.

Foi jogada lapidar das dificuldades defensivas que o Santos enfrentou durante todo o torneio.

Mas se este foi um momento ruim da marcação santista, não pode ser comparado ao terceiro gol do Barcelona. Cortez passou para Montaño arrematar na saída de João Paulo com tanta facilidade que a dupla parecia jogar sozinha, sem a presença de adversários.

No sábado (29), o Santos estreia no Campeonato Brasileiro, contra o Bahia, em Salvador.

BARCELONA-EQU

Javier Burrai; Byron Castillo, Fernando León, Williams Riveros, Leonel Quiñónez; Michael Carcelén (Oyola), Nixon Molina, Emmanuel Martínez (Sérgio Lopez), Michael Hoyos (Montaño); Damián Díaz (Cortez) e Carlos Garcés (Mastriani). T.: Fabían Bustos

SANTOS

João Paulo, Pará (Madson), Kaiky Fernandes, Luan Peres e Felipe Jonatan; Vinícius Balieiro (Kevin Malthus), Ivonei (Lucas Lourenço) e Gabriel Pirani; Ângelo (Marcos Leonardo), Kaio Jorge (Copete) e Lucas Braga. T.: Márcio Araújo

Estádio: Monumenta, em Guayaquil (EQU)

Árbitro: Andre Rojas (COL)

Assistentes: Wilmar Navarro e Dionisio Ruiz (COL)

Cartões amarelos: Castillo e Carcelén (BAR), Kaiky Fernandes, Kaio Jorge e Lucas Lourenço (SAN)

Gols: Damián Díaz (BAR), aos 14', e Kaio Jorge (SAN), aos 46'/1ºT; Damián Díaz (BAR), aos 8', e Montaño (BAR), aos 31'/2ºT