Santos cresce e encosta no Palmeiras, que cai de rendimento após pausa

Folhapress
RIO DE JANEIRO, RJ, 21/07/2019: BOTAFOGO-SANTOS - Marinho abre o placar para o Santos e comemora durante partida entre Botafogo x Santos no estádio Nilton Santos (Engenhão) pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, na manhã deste domingo, no Rio. (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/Folhapress)
RIO DE JANEIRO, RJ, 21/07/2019: BOTAFOGO-SANTOS - Marinho abre o placar para o Santos e comemora durante partida entre Botafogo x Santos no estádio Nilton Santos (Engenhão) pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, na manhã deste domingo, no Rio. (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A parada no futebol nacional para a disputa da Copa América parece ter afetado Palmeiras e Santos de formas opostas. Enquanto o primeiro foi eliminado da Copa do Brasil e perdeu sua invencibilidade no Campeonato Brasileiro, o segundo chegou à quinta vitória consecutiva e se igualou em pontos ao rival no Nacional, que antes era tido como franco favorito.

Meses atrás, pensar em um cenário de igualdade entre os times era improvável. Na quinta rodada do Nacional, o clube da Vila Belmiro foi goleado pelo Palmeira por 4 a 0. A isso, somava-se as três eliminações santistas em mata-matas no ano: caiu na primeira fase da Copa Sul-Americana, perdeu a vaga na final do Paulista para o Corinthians e foi eliminado pelo Atlético-MG da Copa do Brasil.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O Palmeiras, por sua vez, fazia um ano quase perfeito: chegou às oitavas da Copa Libertadores com o primeiro lugar na fase de grupos, avançou na Copa do Brasil e era líder isolado do Brasileiro. O único revés veio no Campeonato Paulista: caiu nos pênaltis diante do São Paulo nas semifinais.

Mesmo antes da Copa América o Santos vinha em trajetória ascendente, tendo vencido o Ceará, o Atlético-MG e o clássico contra o Corinthians pelo Brasileiro. Durante a pausa, não perdeu titulares e conseguiu reforçar seu elenco com a chegada de jogadores como o colombiano Fernando Uribe, que estava no Flamengo, e Marinho, que chegou vindo do Grêmio.

Foi justamente dos pés deste que saiu o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo neste domingo (21), no Engenhão. O jogador entrou em campo após o intervalo. O camisa 11 balançou as redes com um belo chute de fora da área aos 11 minutos do segundo tempo.

"Foi um mini míssil aleatório. Feliz pelo gol, estava um pouco ansioso, mas com a cabeça tranquila, sabia que na hora certa iria sair", afirmou o atleta em ao canal Premiere em entrevista após o jogo. 

No Allianz Parque, as movimentações foram de idas e vindas. Ricardo Goulart, principal nome do Palmeiras para 2019, disputou apenas 12 jogos antes de retornar ao Guangzhou Evergrande, clube da China que o havia emprestado ao alviverde. Da China também veio o reforço: Ramires, que estava no Jiangsu Suning, assinou contrato por quatro anos.

Com elenco estrelado e tempo para treinar, esperava-se muito para o segundo semestre do clube do técnico Luiz Felipe Scolari. A realidade foi outra. Com um empate e duas derrotas, viu ruir sua invencibilidade no Campeonato Brasileiro e agora com duas eliminações no ano, chega pressionado ao jogo de ida Contra o Godoy Cruz pelas oitavas de final da Libertadores.

Sem outros compromissos, o Santos busca aproveitar a instabilidade do rival para assumir a liderança e correr atrás atrás de um troféu que sua equipe não conquista há 15 anos. "Vamos buscar sempre protagonizar. O elenco encontrou autoconfiança para propor jogo em qualquer lugar", disse Jorge Sampaoli, técnico santista, em coletiva após o confronto contra o Botafogo. 

Contratado com status de celebridade, o argentino quer evitar o status de decepção. Caso o Palmeiras fracasse no continental --prioridade do time no ano-- o estrangeiro poderá dormir tranquilo, que o rótulo se deslocará serra acima.

Leia também