Santos comemora fretamento de voo para La Paz, apesar do custo alto

Vitor Bueno marcou o gol do empate com o Strongest na altitude (Conmebol/Divulgação)

O empate na altitude que garantiu a classificação do Santos à fase de mata-mata da Libertadores teve um gostinho especial para a diretoria. É que o Peixe topou gastar cerca de R$ 500 mil apenas com o fretamento de um avião para chegar e sair mais rápido de La Paz, capital boliviana.

A tática funcionou e o time conseguiu ficar no 1 a 1 com o Strongest, mesmo diante de uma arbitragem no mínimo polêmica – o juiz argentino Dario Herrera ignorou um pênalti a favor dos brasileiros e ainda foi rigoroso ao expulsar, no primeiro tempo, o atacante Bruno Henrique.

Além de diminuir os efeitos dos 3.650 metros acima do nível do mar, a estratégia santista também ajudou o técnico Dorival Júnior em relação à programação de treinos. Menos de dez horas depois do fim do jogo, os atletas já estavam no CT do Santos, iniciando o período de recuperação. O desembarque em São Paulo ocorreu às 3h15 e a chegada na Baixada, às 5h40 da manhã.

Depois de três jogos seguidos fora de casa, em Belém, no Rio de Janeiro e na Bolívia, o Peixe volta a atuar na Vila Belmiro neste sábado, contra o Coritiba, a partir das quatro horas da tarde.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: