Santos fica no 0 a 0 com o Boca Juniors pela Libertadores

Fábio Lázaro
·3 minuto de leitura
Brazil's Santos Luan Peres (C) marks Argentina's Boca Juniors Colombian Sebastian Villa (R) as Argentina's Boca Juniors Eduardo Salvio (L) looks on during their Copa Libertadores semifinal football match at La Bombonera stadium in Buenos Aires, on January 6, 2021. (Photo by AGUSTIN MARCARIAN / POOL / AFP) (Photo by AGUSTIN MARCARIAN/POOL/AFP via Getty Images)

Nos primeiros 90 minutos da semifinal da Conmebol Libertadores, Boca Juniors (ARG) e Santos não saíram do 0 a 0. Mesmo atuando fora de casa, no estádio La Bombonera, na Argentina, o Alvinegro foi melhor, teve mais posse de bola, mas pecou na criação e definição das jogadas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Contudo, aos 30 minutos do segundo tempo um lance polêmica fez os santistas reclamara. O zagueiro xeneize, Izquierdoz, chegou firme em Marinho dentro da área, o Santos pediu pênalti, mas o árbitro Roberto Tobar, mesmo após consultar a arbitragem de vídeo optou por não assinalar a falta.

BOCA INICIA MELHOR

O Boca Juniors foi melhor que o Peixe nos primeiros 10 minutos de jogo, mas esse período foi o único no primeiro tempo em que os argentinos foram superiores. Contudo, foi logo no começo da partida que os xeneizes criaram a melhor oportunidade de gol dos primeiros 45 minutos, em um chute na trave de Villa, após passe de Carlos Tévez.

Leia também:

PEIXE TEM A BOLA MAS NÃO CRIA

No compasso que o primeiro tempo passava, o Santos ia crescendo, tanto que encerrou a etapa inicial com 62% de posse de bola, ante 38% do adversário. Porém, faltou criação para o Alvinegro. Os poucos momentos de estocada ofensiva, foram explorando as boas descidas de Soteldo e Lucas Braga pelo lado esquerdo. Pela direita, o principal atleta do Alvinegro, Marinho, que marcou 22 gols em 2020, tinha dificuldades para jogar, já que o Boca dobrava a marcação para cima do camisa 11.

BOCA VOLTA MELHOR

Assim como no primeiro tempo, o Boca Juniors começou a segunda etapa melhor que o Peixe, mas, diferentemente dos 45 minutos iniciais, os argentinos foram mais incisivos, principalmente com Eduardo Sálvio, então apagado, fazendo a defensiva santista trabalhar. Contudo, novamente, foram 10 minutos e só.

PECADOS SANTISTAS

O primeiro pecado santista foi a falta de criação. Quando se expunha ao ataque, tinha que explorar as pontas e deixava um grande espaço central. O time, espaçado, não tinha criatividade e pecava em gerar oportunidades. Após os 10 primeiros minutos de segundo tempo, Cuca optou por tirar o atacante Soteldo de campo e inserir o meia Sandry, que, embora não seja um armador, povoou a faixa central e, assim que entrou, viu o Alvinegro ter duas chances claras, o que nos leva ao segundo pecado. Em um intervalo de dois minutos, o Santos teve dois bons momentos ao seu favor: o primeiro, com Marinho recebendo com liberdade um cruzamento pelo lado esquerdo, aparando a bola, mas pegando mascado e a bola chegando fraca ao goleiro Andrada, e o segundo com Kaio Jorge recebendo passe em ótimas condições na entrada da área, de frente ao gol, com liberdade, mas pegando embaixo demais na bola e a mandando por cima da meta argentina.

POLÊMICA DE ARBITRAGEM

Próximo a faixa de 30 minutos do segundo tempo, o Santos reclamou de um pênalti sofrido por Marinho. O volante Alison deu um bote no meio-campo, destruiu a criação dos xeneizes, tabelo com Sandry, acionou o camisa 11, quer foi atropelado por Izquierdoz. O árbitro Roberto Tobar não quis ir ao monitor do VAR, mas confiou na comunicação com a cabine e não deu a penalidade ao Alvinegro.

FICHA TÉCNICA
BOCA JUNIORS 0 X 0 SANTOS


Estádio: La Bombonera, Buenos Aires (ARG)
Data e horário: 6 de janeiro de 2021, às 19h15 (horário de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Claudio Urrutia (CHI) e Roberto Molina (CHI)
Árbitro de vídeo: Juan Benitez (PAR)
Público e renda: Portões fechados
Gol:
Cartões amarelos:
Villa (Boca Juniors).

BOCA JUNIORS: Andrade; Jara, Lisandro López, Izquierdoz e Fabra; Diego González (Cardona, 17'/2T), Capaldo, Sálvio (Buffarini, 33'/2T) e VIlla; Soldano (Ábila, 32,/2T) e Tévez. Técnico: Miguel Angel Russo.

SANTOS: John; Pará, Lucas Veríssimo (Laércio, 37'/2T), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison e Diego Pituca; Marinho, Kaio Jorge (Madson, 33'/2T), Soteldo (Sandry, 10'/2T) e Lucas Braga. Técnico: Cuca.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos