Sampaoli critica Fifa por Copa do Mundo no Catar

Jorge Sampaoli pontou diretamente contra a organização da Copa do Mundo. Foto: Lindsey Parnaby/AFP via Getty Images
Jorge Sampaoli pontou diretamente contra a organização da Copa do Mundo. Foto: Lindsey Parnaby/AFP via Getty Images

Jorge Sampaoli, técnico do Sevilla, falou em entrevista coletiva antes da partida contra a Real Sociedad pela La Liga na Espanha e foi questionado sobre a próxima Copa do Mundo. O técnico argentino foi mais um que criticou a FIFA pela escolha do Catar como sede e a época do ano em que o torneio será disputado.

Em primeiro lugar, Sampaoli analisou o que significa que alguns de seus jogadores já estão com a cabeça na Copa do Mundo: "Tem futebolistas perto da Copa, pensando em muitas coisas. A tarefa é complicada e talvez a Copa faz com que eles não se concentrem completamente no momento", começou.

Leia também:

Entre os jogadores do Sevilla estão Gonzalo Montiel, Alejandro Gómez e Marcos Acuña, três jogadores da seleção argentina que irão para o Catar.

Em seguida, apontou diretamente contra a organização da Copa do Mundo: "A FIFA decidiu jogar em um lugar onde não deveria ter sido jogado em um momento em que não deveria ter sido jogado, tudo por dinheiro. Isso é um negócio e é deixou de lado todo o resto e as consequências são pagas por quem está abaixo. Logicamente, os jogadores não olham com o canto dos olhos, mas com os dois olhos na Copa do Mundo. Mas isso não é culpa dos jogadores de futebol".

"Estamos diante de uma sociedade muito plástica, em um momento de estupidez histórica. Estamos no pior momento da humanidade em nível histórico, cada vez mais estúpida e estúpida e cada ação vale por qualquer coisa. Os líderes? Falo de todos, é a sociedade mais estúpida do tempo, da história. É uma sociedade muito plana, que está apoiada longe da arte, está apoiada em situações vazias e sem sentido. Eu vejo isso todos os dias a cada momento. Nem somos informados porque a gente não sabe que informação é real e é difícil fazer parte disso, me incomoda porque até a mídia tem uma possibilidade que eles não consideraram e fazem parte desse circo", finalizou o treinador que dirigiu a Argentina que foi até as oitavas de final da Copa de 2018 na Rússia.