Kroos se empolga com Liga dos Campeões: "Libera poderes especiais sobre nós"

EFE

Munique, 24 abr (EFE).- Dono de três títulos da Liga dos Campeões e classificado para as semifinais desta edição com a camisa do Real Madrid, o meia Toni Kroos admitiu nesta terça-feira sentir um sentimento especial ao disputar a competição e destacou a dificuldade de vencê-la.

"Esta competição é a mais difícil de ganhar. Talvez isso libere poderes especiais sobre nós. As emoções sempre têm o seu papel, especialmente nas noites de Champions no Bernabéu. Isso pode ser visto em nossas atuações", declarou o meia alemão em entrevista ao site da Uefa, um dia antes de enfrentar o Bayern de Munique pelas semifinais do torneio.

Kroos venceu as duas últimas edições da Liga dos Campeões com a camisa do Real. Antes disso, na temporada 2012/2013, deu a volta olímpica justamente com a camisa do Bayern.

"Muitos jogadores disputaram grandes partidas, e nós (do Real) conseguimos manter a calma em situações de dificuldade porque sabemos que podemos vencer qualquer um. Inclusive quando não estamos ganhando podemos mudar o jogo. Passamos por muitas situações, por isso não ficamos ansiosos", comentou.

O meia de 28 anos voltará a viver um momento especial nesta quarta ao enfrentar o Bayern em Munique, sua casa de 2006 a 2014, como já aconteceu no ano passado, e alertou que mais uma vez o Real terá dificuldade.

"É especial quando você joga contra uma equipe pela qual jogou. Verei um montão de jogadores com os quais jogava, ou com os quais ainda jogo na seleção alemã, e não teremos vida fácil", admitiu Kroos, que recordou os tempos em que foi treinado por Jupp Heynckes na equipe bávara.

"Joguei sob o comando de Jupp Heynckes durante muito tempo e sei que é um treinador muito bom. Quando voltou, mudou a cara do Bayern. Estão jogando muito melhor, e acredito que será mais difícil que no ano passado", opinou.

No ano passado, pelas quartas de final, o Real Madrid venceu o Bayern de Munique por 2 a 1 na ida, na Allianz Arena. O agora hexacampeão alemão devolveu o placar na volta, mas sofreu três gols na prorrogação e foi eliminado. EFE


Leia também