Salgado projeta gestão no Vasco: 'Seriedade, honestidade e transparência'

Felippe Rocha e Matheus Costa
·2 minuto de leitura


O imbróglio jurídico segue, mas Jorge Salgado foi o mais votado nesta sábado na eleição para presidente do Vasco. E o empresário de 73 anos, nas primeiras palavras como, em tese, novo mandatário do Cruz-Maltino, projetou um mar calmo.

Eu quero fazer a minha gestão de acordo com o planejamento da nossa campanha, com seriedade, honestidade e transparência. Desejar o melhor do Vasco daqui pra frente - e completou:

- Agora é entregar para a nossa área jurídica resolver. Desde o início, sempre falei, a gente acata decisão judicial e a gente atua dentro da conformidade e eu não me acatar desse princípio. Se alguma decisão houver, a gente vai discutir na esfera judicial - afirmou.

Na votação de semana passada, Salgado foi o segundo mais votado. Mais votado neste dia 14 de novembro, ele acredita que a história que ele carrega, de uma eleição disputada (em 1997) e trabalhos nos bastidores em diferentes mandatos, pesou para a escolha do sócio.

- Eu acho que a gente fez uma campanha muito clara, a gente conseguiu passar muito a nossa proposta de trabalho, o que a gente tinha concebido como planejamento de campanha. Eu carrego um pouco de história de Vasco e isso me ajudou bastante, com credibilidade. Isso eu acho que também foi decisivo para nossa vitória - analisou, antes de concluir sobre o período de transição com o atual mandatário, Alexandre Campello:

- Acho que a gente vai ter uma transição pacífica, bastante amigável. Tenho certeza que o presidente Campello vai nos ajudar nessa transição. Não penso diferente - disse.

Se confirmado o resultado da eleição deste dia 14 de novembro, Jorge Salgado leva 120 membros da chapa Mais Vasco ao Conselho Deliberativo. Segunda colocada, a Sempre Vasco, de Júlio Brant, levaria outros 30 para se juntarem aos 150 natos (beneméritos e grande beneméritos). Salgado, todavia, entende que sua gestão terá paz no clube.

- Eu acho que vai ser uma administração muito mais amigável, muito mais pacífica. Você pode imaginar que a gente vai ter um conselho deliberativo em que eu vou ter uma maioria ampla e o Júlio vai fazer o fechamento da chapa. Acho que a gente vai ter uma gestão, do ponto de vista político interno, bastante amigável, bastante pacífica. Muita das coisas que a gente planeja para o Vasco tem uma sinergia com a chapa Sempre Vasco. Acho que vai ser relativamente tranquilo. Agora, críticas de fora vão vir. Quem perdeu vai quere policiar, criticar e etc, mas a gente está preparado - avalia. E conclui:

- Vocês acabaram de ver. A votação foi bastante expressiva. Todos os dois candidatos tiveram mais votos do que o candidato que venceu na eleição do último sábado. Acho que isso vai pesar muito numa decisão judicial. Agora, a justiça que vai resolver esse imbróglio. A Justiça que resolve - finalizou.