Sainz diz que nasceu para ganhar e que não será 2º piloto na Ferrari

Jose Carlos de Celis
motorsport.com

A Ferrari surpreendeu o paddock da Fórmula 1 ao confirmar uma dupla de pilotos com uma baixa média de idade, a mais jovem desde a década de 60. E Carlos Sainz chegará no próximo ano com um desafio em mãos: se impor em uma equipe que está se construindo ao redor de Charles Leclerc. Mas o espanhol defende que não será segundo piloto.

Desde o início, Sainz vem afirmando que não assinou para ser o segundo piloto e que será a pista que irá determinar a ordem entre eles. E, nesta terça-feira, ele voltou a reforçar a informação em uma entrevista dada a quatro estações de rádio espanholas.

Leia também:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

F1: Organização do GP da Rússia está disposta a realizar etapa dupla em SochiSchumacher quer Frank e Claire Williams fora da equipe de F1F1: GP do Brasil ocorre em novembro e deve ter público, diz promotor

No programa El Transistor, da emissora Onda Cero, Carlos falou claramente sobre o papel que ele espera de sua equipe, e espera que seus resultados determinem seu papel.

"Acredito que, no final, são as corridas e o cronômetro que colocam um como primeiro ou segundo. Sei que vou correr em igualdade de condições, eles vão me dar as mesmas armas que Charles".

Mas Sainz não esconde que está em uma certa desvantagem, considerando que Leclerc estará em seu terceiro ano na Ferrari enquanto ele estará em seu primeiro.

"É normal, ele está na equipe há mais tempo, ele conhece melhor o carro. Para mim, como poderia ser de outra forma? Terei um período de adaptação, e o que sei é que, quando tiver a oportunidade de vencer, tentarei vencer ou subir ao pódio, ou ficar o mais à frente possível".

Quando a contração de Sainz foi anunciada, Mattia Binotto, chefe da equipe, destacou, entre as qualidades do piloto, que ele é um homem de equipe, e o espanhol falou sobre isso.

"Se precisar ajudar a equipe a vencer um campeonato mundial, seja de pilotos ou de construtores, também serei o primeiro a ajudar, porque, como todas as equipes da F1 dizem, o interesse coletivo está acima do individual, e em uma marca super importante como a Ferrari você precisa ter isso em mente".

"Mas para aqueles que duvidam, meu contrato não diz nada sobre ser segundo piloto. Vou fazer de tudo porque nasci para isso, para vencer. Esse é o meu objetivo".

Sobre seu novo companheiro de equipe, um piloto que já sabe o que é vencer, Sainz está calmo. "Trato todos os pilotos da mesma maneira, somos todos rivais e, se houver uma situação difícil, tomarei a decisão certa", disse Sainz, agora à outra estação.

No final, ele brincou sobre a possível compra de uma Ferrari, a preço reduzido, porque agora era funcionário da fábrica.

"A Ferrari me enviou o contrato para assinar e nada mais. Você assina com um sorriso no rosto e não pensa em negociar um desconto para comprar um carro. Mas farei uma pesquisa quando for para Maranello".

VÍDEO: Sainz está no nível da Ferrari? Espanhol pode dar certo na equipe?

PODCAST: A Williams tem salvação?

Your browser does not support the audio element.

Leia também