Saiba quem leva vantagem no confronto entre Itália e Inglaterra, finalistas da Eurocopa

·2 minuto de leitura

MACEIÓ, AL (FOLHAPRESS) - A Inglaterra nunca disputou uma final da Eurocopa. A Itália ganhou o último título do torneio há 53 anos. Quando pisarem no gramado de Wembley neste domingo (11), às 16h (TV Globo e SporTV), os jogadores das duas seleções se empolgarão em entrar para a história.

Em 1996, os ingleses tiveram a oportunidade de celebrar o título em casa, mas perderam nas semifinais quando o agora técnico Gareth Southgate desperdiçou a sua cobrança de pênalti contra a Alemanha.

Os italianos, por outro lado, conquistaram o seu único título da Euro em casa, em Roma, em 1968 -só três times conseguiram esse feito, sendo Espanha (1964) e França (1984) os outros dois. Conta a favor dos ingleses o título da Copa do Mundo de 1966, justamente em Wembley.

Ter um momento triste na competição europeia também se aplica à Itália, que sofreu a maior derrota de uma final de Euro, contra a Espanha, em 2012.

A vantagem no total de confrontos (27) entre as duas seleções é da Itália, que venceu em dez oportunidades. A Inglaterra ganhou oito, e as equipes empataram nove vezes. Na Euro, a maior eficiência segue sendo da Azzurra, que eliminou os atuais donos da casa duas vezes -em 2012, nas quartas de final, e em 1980, na segunda rodada da fase de grupos.

Jogadores do Chelsea, o italiano Jorginho e os ingleses Mason Mount, Reece James e Ben Chilwell também podem entrar para uma seleta lista de jogadores que venceram a Champions League e a Euro no mesmo ano.

Já os atletas do Manchester City Kyle Walker, John Stones, Phil Foden e Raheem Sterling, todos ingleses, têm duas possibilidades de cravar o nome na decisão: se vencerem, entram para o grupo de quatro jogadores que perderam a Champions League e conquistaram a Euro na mesma temporada; se perderem, se juntam ao alemão Ballack, o único a perder os dois títulos no mesmo ano.

Para chegar até aqui, os dois times precisaram passar por prorrogações. Enquanto a Itália ganhou da Espanha em cobrança de pênalti de Jorginho, a Inglaterra contou com uma penalidade contestável sofrida por Sterling para avançar. Schmeichel, da Dinamarca, até defendeu a batida de Kane, mas o atacante converteu no rebote.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos