Corinthians terá fatia pequena nos direitos de Roger Guedes. Confira

·1 minuto de leitura
Roger Guedes é apresentado ao lado de Roberto de Andrade e Duílio Monteiro (Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)
Roger Guedes é apresentado ao lado de Roberto de Andrade e Duílio Monteiro (Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

O Corinthians não precisou gastar dinheiro para comprar Roger Guedes, mas ficou com apenas 40% dos direitos econômicos do atacante. Isso significa que, em caso de venda, o Timão embolsará menos de metade do valor da transferência.

A justificativa para o percentual baixo tem a ver com as dificuldades financeiras do clube. Roger Guedes tinha propostas mais vantajosas e exigia salário acima de R$ 1,5 milhão por mês.

O presidente Duílio Monteiro Alves sugeriu então que o atacante ficasse com uma fatia de seus direitos econômicos, podendo recuperar o dinheiro perdido em caso de venda futura. O Blog apurou que seus vencimentos vão girar na casa de R$ 1 milhão por mês no Parque São Jorge.

Veja mais de Jorge Nicola no Yahoo Esportes

É preciso lembrar que Roger Guedes abriu mão de aproximadamente R$ 30 milhões ao rescindir seu contrato de forma antecipada com o Shandong Luneng, da China. Diante deste contexto, as partes concordaram e o Corinthians ficou com apenas 40% dos direitos do camisa 123.

Cláusula no contrato: Roger Guedes também exigiu que constasse no acordo entre as partes uma cláusula que obriga o Corinthians a vendê-lo ou comprar seu percentual em caso de proposta do exterior por um determinado valor. 

Essa prática passa a valer a partir da metade do ano que vem e garante ao atacante o direito de rentabilizar com seus 60% caso faça sucesso com a camisa corintiana.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos