Saiba o que ainda trava a renovação de contrato de Dudu com o Palmeiras

Novela pela renovação de Dudu com o Palmeiras continua (Foto: Cesar Greco / Palmeiras)


O Palmeiras vive impasse sobre a renovação de contrato de Dudu, que termina no final de 2023. Na última terça-feira (15), jogador e clube se reuniram, o novo vínculo estava sobre a mesa e assinado por Leila Pereira, presidente do Verdão, mas os representantes do atacante tentaram mudar termos pré-acordados, o que emperrou novamente a negociação.


GALERIA
> Saiba a situação de 14 "queridinhos" do mercado brasileiro

Pessoas ligadas ao Palmeiras informaram que todas as exigências do camisa 7 foram atendidas e já estavam acertadas entre as partes: salário, bônus, luvas, tempo de contrato — dois anos + o restante do tempo que consta no atual vínculo (um ano) — e renovação automática de acordo com meta de jogos.

A extensão automática é justamente o que dificultou as tratativas. As fontes consultadas pela reportagem alegaram que o acordo entre as partes era o seguinte: se Dudu jogasse 50% das partidas da equipe em 2025 (último ano oficial do novo vínculo), ele teria direito a mais um ano de contrato obrigatoriamente.

Porém, o estafe do atacante, capitaneado pelo empresário André Cury, pediu, na reunião, que a cláusula mudasse para apenas 15% dos jogos. A exigência do agente não fazia parte do combinado anterior.

+ Dudu deixa renovação de contrato nas mãos do Palmeiras: 'Se não renovar, tem outros clubes'

Em 2025, se o Palmeiras repetir o número de partidas que fez neste ano (72), Dudu precisaria entrar em campo somente em 11 para ativar a renovação automática, caso o pedido dos 15% feito pelo estafe do atleta fosse atendido.

As negociações se arrastam e já viraram uma "novela", mas vão prosseguir e o Verdão confia no acerto com o ídolo, pois as partes já tinham entrado em acordo antes da reunião da última terça-feira.