Saiba como o Corinthians pode ser afetado na briga de Jô com o ex-clube

Alexandre Guariglia
LANCE!


No último domingo, o Nagoya Grampus-JAP anunciou a rescisão de contrato com Jô por meio de seu site oficial. No comunicado, o clube japonês alegou que o motivo do rompimento foi justa causa e afirmou que o caso foi levado para a Fifa. Acontece que dependendo do posicionamento dos asiáticos nessa disputa, isso pode atrasar a inscrição do jogador por parte do Corinthians, embora não seja algo que preocupe os dirigentes corintianos neste momento.

A partir do dia 1º de julho, estará aberta a janela de transferências para a chegada de reforços que atuam fora do Brasil. Será nesta data que o Timão vai saber se conseguirá inscrever Jô ou não. Apesar de o clube brasileiro se mostrar tranquilo quanto a isso, ainda é incerto o posicionamento dos japoneses, que mesmo tendo rescindido o contrato, continuam podendo travar a inscrição.

Isso porque assim que o Corinthians der início ao processo no sistema da Fifa que permite as novas inscrições, será solicitado para a Associação de Futebol do Japão que envie o CTI (Certificado de Transferência Internacional) de Jô. A partir desse momento, o Nagoya Grampus terá o prazo de uma semana para responder à entidade de seu país sobre a efetivação da liberação.



É aí que mora a incerteza, já que o clube japonês pode simplesmente não confirmar a rescisão e travar o processo. Por parte dos corintianos e do jogador não há esse temor pelo fato de o desligamento já ter sido publicado, além de contar com amparo legal e com uma possível intervenção da Fifa no caso.

O tempo também ajuda o Timão, já que não há data para o retorno das competições e o Campeonato Paulista, torneio mais próximo de voltar a acontecer, não permite novas inscrições para a fase de grupos, ou seja, caso essa documentação de Jô trave, haverá margem para solução do problema.

Segundo informação publicada pelo GloboEsporte.com e confirmada pelo LANCE!, o Nagoya acusa Jô de ter abandonado o emprego, o que motivou os japoneses a suspenderem os pagamentos a partir de abril e a abrirem o processo contra o atleta na Fifa, cobrando indenização referente aos valores que restavam no contrato, que era válido até dezembro deste ano.

Em comunicado enviado pela sua assessoria de imprensa ao LANCE! ,no último domingo, Jô discorda da alegação do Nagoya Grampus-JAP, relata que outras situações teriam acontecido durante a pandemia de coronavírus e promete se defender contra a acusação quando for notificado pela Fifa, já que o caso está na Câmara de Resolução de Disputas (DRC) da entidade.

Enquanto isso, Jô já se apresentou ao Corinthians no CT Joaquim Grava na última segunda-feira para realizar avaliações padrão para novas contratações e estará de volta ao local para continuar as atividades físicas na manhã desta terça-feira. O atacante não entra em campo desde dezembro de 2019 e não fez a pré-temporada com Nagoya em 2020 por conta de uma lesão no joelho.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também