Sai o mar e entra a piscina: manual para Surf Ranch

Yahoo Esportes
Enorme piscina de ondas artificiais no interior da Califórnia volta a receber etapa do Mundial de Surfe (DIVULGAÇÃO)
Enorme piscina de ondas artificiais no interior da Califórnia volta a receber etapa do Mundial de Surfe (DIVULGAÇÃO)


Por Emanoel Araújo

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A surpresa já não é mais tão grande, mas talvez ainda demore um tempo para que todos se acostumem que lugar de surfe também é na piscina. Entre os dias 19 e 21 de setembro, os melhores surfistas do planeta estarão em Lemoore, interior da Califórnia, para mais uma etapa do Mundial de Surfe. Será o oitavo evento do ano para os homens e o sétimo às mulheres.

O Surf Ranch é a piscina de ondas artificiais desenvolvida pelo 11 vezes campeão mundial Kelly Slater. Sem interferências da natureza, todos os atletas terão as mesmas condições e surfarão o mesmo número de ondas para a esquerda e para a direita – serão três para cada lado - que a piscina proporciona.

Além disso, os fãs terão horário de início e final fixos e conhecidos. Assim, é mais fácil de saber quando seu surfista favorito entrará na água. Os 8 melhores homens e as 4 melhores mulheres disputarão as finais no sábado (21/09).

:: A PISCINA


Lenda dentro das águas e inovador fora dela, a empreitada de Kelly Slater durou uma década para ficar pronta. O projeto sigiloso só colheu os frutos no final de 2015.

Além da inovação, do novo formato de disputas e de um desafio aos surfistas, o “rancho do tio Kelly” tem sido importante para elegibilidade do surfe aos Jogos Olímpicos. Graças a piscina de ondas artificiais, o surfe garantiu a presença em qualquer sede do mundo – seja ela litorânea ou não.

Existem outras piscinas de ondas artificiais ao redor do mundo, mas nenhuma com a extensão e variação do Surf Ranch. São estes elementos que garantem uma etapa digna da elite do esporte e um show de surfe.

:: OS FAVORITOS

Gabriel Medina e Filipe Toledo estão entre os favoritos ao título (CESTARI/WSL)
Gabriel Medina e Filipe Toledo estão entre os favoritos ao título (CESTARI/WSL)


Inaugurado em setembro de 2017, o Surf Ranch recebeu alguns eventos-testemuitos famosos e apenas uma etapa do Mundial de Surfe. E quem levou a melhor no evento inaugural no ano passado foi o brasileiro Gabriel Medina.


Com entendimento perfeito do tempo da onda artificial, bom posicionamento nos tubos e muita pressão nas manobras o atual campeão mundial é favorito. Soma-se ao desempenho, o seu diferencial: os estratosféricos aéreos.

No entanto, Medina não é o único que se saiu bem no Surf Ranch . Atual líder do ranking, Filipe Toledo também entrou com a camisa amarela no ano passado e foi o vice-campeão da etapa. Yago Dora foi o 9º. Italo Ferreira, Michael Rodrigues e Adriano de Souza terminaram em 13º, enquanto Willian Cardoso e Jessé Mendes ficaram na 25ª posição.

Entre as mulheres, a havaiana tricampeã mundial Carissa Moore venceu o evento inaugural no ano passado. As brasileiras Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb ficaram na 9ª colocação.

:: BRINCADEIRA SALGADA

O Surf Ranch não é apenas uma enorme piscina com ondas perfeitas geradas por um também enorme trem. O gigante terreno de Kelly Slater em assistir aos melhores surfistas do mundo em ação, o espectador terá acesso a bares temáticos e lugares para relaxar e ouvir um bom som.

No ano passado, a banda americana Blink 182 estava confirmada para uma das noites, mas um contratempo de última hora fez com que a apresentação fosse cancelada. Mas os fãs não puderam reclamar, já que o Social Distortion garantiu a festa.

Mas tudo tem o seu preço. E sai caro. Para a 1ª fase, na próxima quinta-feira (19), não haverá comercialização de ingressos. Quem quiser ir na sexta ou sábado terá que desembolsar pelo menos US$ 55 por dia (mais de 200 reais). Vai de carro? Pode colocar mais US$ 30 dólares por dia no orçamento. Um lugar no camarote nos dois dias já com o ingresso para o show principal sai por US$ 499 (mais de 2.000 reais).

Mas o fã ainda pode escolher o conforto máximo que a WSL colocou em prática neste ano e desembolsar incríveis US$ 5.499 (algo em torno de 21 mil reais) para ter direito a hospedagem, comida, bebida, acesso aos atletas e muitas mordomias. Detalhe: esse pacote já está esgotado.

Evento inaugural foi sucesso de público mesmo com preços altos(WSL)
Evento inaugural foi sucesso de público mesmo com preços altos(WSL)


Para quem está acostumado com as competições de graça nas praias mundo afora, acompanhar o inédito evento ficará um pouco salgado. Importante dizer também que a cidade de Lemoore é próximo a região desértica do oeste americano (mais de 300km de Los Angeles) e as opções de hospedagem são raras e já estão esgotadas há tempos.

Enfim, a WSL (World Surf League) ainda não conseguiu alcançar o objetivo: monetizar o esporte. No entanto, não há como discutir que um novo formato foi testado e aprovado pelo mundo do surfe. O Yahoo Esportes traz todas as notícias do piscinão do tio Kelly durante os próximos dias. Fique atento.

Leia também