Saída de Ganso é uma das condições para Sampaoli ficar no Sevilla

O técnico do Sevilla, Jorge Sampaoli, foi o responsável por indicar a contratação do meia Paulo Henrique Ganso, que chegou à Espanha junto com o argentino, no meio de 2016. Quase um ano depois, porém, a situação do brasileiro no clube parece irreversível.

De acordo com o jornal Marca, a saída do ex-Santos e São Paulo é uma das condições impostas por Sampaoli para seguir no comando da equipe. Para o treinador, é necessário que todos os atletas de seu elenco entendam sua forma de jogo, e atuem conforme o pedido. Ganso não faz isso, e Jorge já reclamou desta situação.

Pelo clube, o meia participou de apenas 12 partidas. No Espanhol, em 28 jogos, o paraense jogou apenas seis vezes, sendo que apenas em um duelo atuou os 90 minutos. Na Liga dos Campeões, em oito jogos da equipe, Paulo Henrique disputou um.

Além de ter um elenco comprometido com seu estilo, o argentino quer também mais investimento financeiro por parte da diretoria. Com um orçamento muito menor do que os de Real Madrid e Barcelona, o Sevilla perdeu contato com os dois na luta por um surpreendente título nacional.

A expectativa de Sampaoli é de que a agremiação assuma um projeto ambicioso para os próximos anos, em busca de conquistas importantes. O time costuma ter sucesso em Liga Europa, sendo o atual tricampeão, mas na Liga dos Campeões acabou falhando antes das fases mais decisivas, caindo para o Leicester.

Na atual edição do Campeonato Espanhol, o time da Andaluzia faz boa campanha, ocupando o terceiro lugar, com 57 pontos, atrás apenas de Real e Barça. A equipe tem boas chances de se manter no G4, garantindo vaga na principal competição europeia na próxima temporada.