De saída da Nascar, Johnson assina com McLaren para parte da temporada 2021

VICTOR MARTINS, GABRIEL CURTY
Grande Prêmio

Jimmie Johnson já confirmou que vai deixar a Nascar ao final da temporada 2020. Uma das maiores lendas da história da categoria, o piloto de 44 anos tem novas metas para a carreira e, uma delas, vai se cumprir em 2021: um acordo com a McLaren para fazer algumas etapas do próximo campeonato da Indy, fontes indicaram ao GRANDE PRÊMIO.


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Johnson esteve nesta terça-feira (11) no Circuito das Américas para acompanhar o primeiro dia dos testes coletivos da pré-temporada da Indy. 

No final de 2018, Johnson promoveu com Fernando Alonso uma espécie de intercâmbio, guiando a McLaren F1 do espanhol no Bahrein, enquanto Fernando conseguiu testar um carro da Nascar. No entanto, ali Johnson indicou na entrevista que gostaria de ter chances na Indy, especialmente nos circuitos mistos, afinal, sua mulher não quer mais vê-lo correndo em ovais, o que impediria o americano de fazer a Indy 500.

Jimmie Johnson na Indy? Sim! (Foto: Nascar)



"Sem dúvida tenho interesse. 2020 é meu último ano de contrato com a Hendrick e eu já estive próximo da Indy 500 várias vezes. Só que não fico tão animado assim para correr nesses ovais, mas acho que meu nome e meus relacionamentos podem me colocar em algumas corridas em mistos na Indy", disse na ocasião.

Johnson passou sua carreira inteira na classe máxima da categoria norte-americana defendendo o #48 da equipe Hendrick. A estreia aconteceu em 2001, mas a primeira temporada completa veio apenas no ano seguinte. JJ conquistou sete títulos na Nascar, cinco deles consecutivos entre 2006 e 2010, empatado com Dale Earnhardt e Richard Petty como os pilotos com maior número de canecos – os dois últimos, inclusive, fazem parte do Hall da Fama da categoria.

JJ ainda se coloca como o sexto com o maior número de vitórias, ao lado de Cale Yarborough. Ambos somam 83 triunfos. Johnson terminou ainda 364 vezes entre os dez primeiros, além de ter saído 36 vezes da pole-position.

Johnson venceu duas vezes a Daytona 500, principal prova da Nascar, além de ter levado quatro vezes em Charlotte e Indianápolis. A última vez que o piloto de Califórnia subiu no degrau mais alto do pódio foi em junho de 2017, em Dover. Em 2019, Johnson terminou o campeonato na 18ª colocação.



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.






Leia também