Série do Barcelona tem Suárez emotivo, técnico fotógrafo e Shakira tensa

BRUNO RODRIGUES
Folhapress
*ARQUIVO* BARCELONA, ESPANHA, 30.01.2019 - Messi festeja gol com o brasileiro Arthur em partida pela Copa do Rei. (Foto: Ismael Arroyo/Brazil Photo Press/Folhapress)
*ARQUIVO* BARCELONA, ESPANHA, 30.01.2019 - Messi festeja gol com o brasileiro Arthur em partida pela Copa do Rei. (Foto: Ismael Arroyo/Brazil Photo Press/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os fãs de futebol que têm sofrido com a paralisação das principais ligas do mundo ganharam recentemente mais uma opção de entretenimento para diminuir a saudade dos grandes jogos no período de quarentena.

Desde o último dia 29 de abril, está disponível na Netflix a série "Matchday: FC Barcelona", que acompanhou a equipe catalã na temporada 2018/2019, na qual o time de Lionel Messi conquistou o título espanhol, mas sofreu a dramática queda na semifinal da Champions League para o Liverpool, além da derrota na decisão da Copa do Rei para o Valencia.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Produzida pelo Barça Studios, braço de produção audiovisual do clube, a série era exibida desde novembro de 2019 na Rakuten Sports, plataforma de streaming da patrocinadora máster do Barcelona.

Até o acordo com a Netflix, porém, só alcançava a Europa e o Japão, onde a empresa de e-commerce já disponibiliza seu próprio serviço de streaming. Agora, "Matchday" está disponível também para os mercados da América Latina e do Canadá.

Dividida em oito capítulos e empacotada para vender a imagem do clube no exterior, a produção é narrada pelo ator norte-americano John Malkovich e, além do título em inglês, traz entrevistas dos jogadores em suas respectivas línguas nativas, apesar de alguns serem fluentes no espanhol. As câmeras têm acesso aos vestiários e à vida pessoal de alguns atletas, mostrando um pouco dos bastidores do time.

Conheça cinco boas histórias da série que vão além dos gramados:

SUÁREZ E A AUSÊNCIA DA FIGURA PATERNA

Das principais estrelas do Barcelona, o atacante uruguaio Luis Suárez é, ao lado de Gerard Piqué, quem oferece mais abertura à sua intimidade.

Além dos momentos com o amigo Lionel Messi, Suárez fala sobre sua suspensão do futebol após a mordida no italiano Chiellini, durante a Copa do Mundo de 2014, e conta a história de amor com sua esposa, Sofia. Mas o relato pessoal mais emocionante é sobre a paternidade.

Na semana em que nasceu seu terceiro filho, Lautaro, o camisa 9 marcou três gols na goleada por 5 a 0 no clássico contra o Real Madrid. Os outros dois filhos do casal, Delfina e Benjamín, estavam nas arquibancadas do Camp Nou assistindo à partida ao lado de Messi, lesionado na ocasião.

"Eu não tive uma figura paterna que me guiasse e me ensinasse a valorizar as coisas. Como eu não tive, não quero que falte a eles [os filhos]", diz o atacante, visivelmente emocionado.

PIQUÉ E AS VISITAS À DELEGACIA

Durante a viagem a Manchester para o duelo das quartas de final da Champions League, o zagueiro Piqué relembra a sua passagem pela cidade. Formado nas categorias de base do Barcelona, ele se transferiu para o Manchester United quando tinha 17 anos, em 2004. No clube inglês, ficou até 2008, quando foi comprado de volta pelo Barça.

Nas gravações, o defensor diz que passou em mais de uma oportunidade pelas delegacias de Manchester no período em que defendeu o United. Todas elas em razão de festas.

"Acabei na delegacia mais de uma vez. Melhor nem falar disso", brinca Piqué, enquanto se dirige ao estádio de Old Trafford com o técnico Ernesto Valverde para uma entrevista coletiva prévia ao duelo. "Foi minha época de festas. Ninguém me conhecia, eu não era ninguém."

Piqué também conta que, durante sua estadia em Manchester, morou em um apartamento alugado e que pertencia ao técnico Alex Ferguson. De acordo com o zagueiro, ele comprou um coelho para lhe fazer companhia ("um cachorro era muito grande"), mas o animal acabou destruindo o apartamento.

"O coelho roeu todas as cadeiras e, quando fui embora, ele [Ferguson] me ligou todo chateado. Parece catalão, é um mão de vaca", diz o jogador.

A TENSÃO DE SHAKIRA CONTRA O LIVERPOOL

Esposa de Piqué, a cantora colombiana Shakira é uma das protagonistas do episódio que mostra a eliminação da equipe para o Liverpool na semifinal da Champions League. No jogo de ida, na Espanha, o Barcelona venceu por 3 a 0.

Shakira assiste ao jogo com seus dois filhos, Milan e Sasha. O placar marca 2 a 0 para os ingleses quando Sasha, o mais velho, diz à mãe: "Se ficar assim, não acontece nada. Nós passamos para a final". Assim que ele termina a frase, o Liverpool marca o terceiro, com Wijnaldum, para desespero de Shakira.

"Merda!", grita a cantora. "O que aconteceu?", pergunta ela ao filho.

Quando o time de Jürgen Klopp anota o quarto gol, que dá a classificação ao clube inglês, Shakira já está assistindo ao jogo sozinha e permanece em silêncio, com a mão sobre a boca, como se não acreditasse.

A PAIXÃO DE VALVERDE PELA FOTOGRAFIA

Uma das melhores histórias particulares de personagens do elenco do Barcelona é a do técnico Ernesto Valverde, que já não está mais no clube atualmente -foi demitido em janeiro de 2020.

Ex-jogador do Barça, ele é apaixonado por fotografia. O contato com a câmera começou ainda quando era atleta. Inclusive, segundo o próprio Valverde, ele imaginava que sua carreira pós-futebol seria como fotógrafo, e não como treinador.

Na série, o técnico aparece junto a um amigo, fotógrafo esportivo de jornais espanhóis, revelando fotos analógicas dentro de um laboatório.

"Para mim, a fotografia não é só um hobby, é algo muito mais importante. É uma forma de observar as coisas ao seu redor, de transmitir um monte de sensações, de buscar algo diferente, de protestar por algo, por que não?", diz Valverde, que chegou a realizar um curso de fotografia por correspondência.

TORCEDOR VENEZUELANO PROTEGEU CRIANÇAS DE TIROTEIO NOS EUA

A série também conta a história de alguns torcedores do Barcelona, alguns deles de outros países. Há, por exemplo, o ex-bombeiro catalão que perdeu quase toda a visão em um acidente e, mesmo assim, segue comparecendo ao Camp Nou nos jogos da equipe. Mas a melhor história é a do venezuelano Anthony Borges.

Anthony foi aluno da Academia do Barça em Fort Lauderdale, na Flórida (EUA), e virou notícia mundial em 2016 ao proteger colegas de classe durante um tiroteio em um colégio em Parkland, também na Flórida, que deixou 17 mortos (14 estudantes e três funcionários).

O venezuelano ajudou 20 outros estudantes a se refugiarem em uma sala e manteve a porta fechada com o seu corpo. Anthony levou cinco tiros, que atingiram suas costas e seu abdômen.

Torcedor do Barcelona, ele foi levado à Catalunha a convite do clube para assistir a uma partida da equipe no Camp Nou.

Leia também