São Paulo vence o Palmeiras no Allianz e respira no Brasileiro

·3 min de leitura
SÃO PAULO, SP, 17.11.2021 – PALMEIRAS-SÃO PAULO – Partida entre Palmeiras e São Paulo, válida 33° rodada do Campeonato Brasileiro 2021, no estádio Alianz Parque, na zona oeste de São Paulo, SP, nesta quarta-feira. (Foto: Bruno Motta/Photo Press/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 17.11.2021 – PALMEIRAS-SÃO PAULO – Partida entre Palmeiras e São Paulo, válida 33° rodada do Campeonato Brasileiro 2021, no estádio Alianz Parque, na zona oeste de São Paulo, SP, nesta quarta-feira. (Foto: Bruno Motta/Photo Press/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O São Paulo foi superior ao Palmeiras nesta quarta-feira (17) e ainda contou com uma falha de Patrick de Paula para vencer o clássico no Allianz Parque, por 2 a 0. Com o resultado, a equipe tricolor conseguiu dar um respiro na luta para se distanciar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e ainda diminuiu as chances de o rival lutar pelo título.

Depois de ter sido goleado na última rodada pelo Flamengo, em pleno Morumbi, por 4 a 0, os jogadores são-paulinos entraram em campo pressionados. No meio de semana, torcedores organizados estiveram no CT para cobrar uma reação da equipe.

Ao conquistar uma vitória no clássico, o elenco dirigido por Rogério Ceni soma agora 41 pontos, cinco a mais do que o Bahia, o 17º colocado e primeiro na parte vermelha da tabela. Os paulistas, contudo, têm 33 partidas disputadas, enquanto os baianos entraram em campo 31 vezes no Nacional --nesta quinta (18), o Bahia encara o Sport, às 21h, fora de casa.

Também derrotado na rodada passada, no caso pelo Fluminense (2 a 1, no Maracanã), o Palmeiras perdeu a chance de diminuir a distância para o líder Atlético-MG. Estacionado nos 58 pontos, tem 13 a menos do que os mineiros, com um jogo a menos do que o rival e apenas mais cinco partidas até o fim do torneio.

Com a chance remota de brigar pelo troféu, além da proximidade da disputa da final da Libertadores, em jogo único contra o Flamengo, no próximo dia 27, no Uruguai, o técnico Abel Ferreira optou por escalar um time recheado de reservas. Embora tenha conseguido levar perigo em alguns lances, viu o adversário ter as principais oportunidades de gol do primeiro tempo.

Na melhor delas, Gabriel Sara inaugurou o placar aos 23 minutos, com um chute forte de fora da área, que surpreendeu o goleiro Weverton.

A vantagem mínima no marcador durante os 45 minutos iniciais ficou até barata para os palmeirenses, já que os são-paulinos tiveram o controle do duelo. Segundo o site SofaScore, os donos da casa finalizaram três vezes contra sete do rival.

Depois do intervalo, o Palmeiras até voltou com mais ímpeto ofensivo, mas justamente quando crescia na partida, sofreu o segundo gol.

Aos 15 minutos, Patrick de Paula errou ao tentar recuar uma bola e entregou e presente para Luciano. O atacante avançou sozinho e bateu na saída de Weverton para ampliar. Aos 19, o autor do segundo gol teve a chance de matar o jogo, mas desta vez parou em boa defesa do goleiro.

Depois de 11 partidas sem marcar, Luciano deixou o São Paulo em situação bastante confortável na casa alviverde, onde os tricolores buscaram apenas a terceira vitória desde a inauguração do estádio, em 2014.

Ao todo, foram 14 clássicos na nova arena palmeirense, com nove vitórias dos mandantes, dois empates e três vitórias dos são-paulinos.

Foi, ainda, o sexto confronto entre as equipes na temporada, entre jogos pelo Paulista, Copa Libertadores e Brasileiro. No Estadual, o São Paulo superou o rival na decisão, depois de um empate sem gols no Allianz e uma vitória por 2 a 0 no Morumbi.

Na competição continental, o Palmeiras deu o troco. No primeiro confronto, houve um empate por 1 a 1 na casa tricolor e, na volta, os palmeirenses ganharam por 3 a 0, avançando à semifinal.

PALMEIRAS

Weverton; Marcos Rocha, Luan, Kuscevic e Jorge; Matheus Fernandes (Raphael Veiga), Danilo e Patrick de Paula (Zé Rafael); Breno Lopes (Gustavo Scarpa), William (Wesley) e Luiz Adriano (Rony). T.: Abel Ferreira

SÃO PAULO

Volpi; Igor Vinícius, Arboleda, Miranda e Reinaldo (Léo); Nestor (Gabriel), Gabriel Sara, Igor Gomes e Vitor Bueno (Marquinhos); Rigoni (Eder) e Luciano (Benítez). T.: Rogério Ceni

Estádio: Allianz Parque, em São Paulo (SP)

Público e renda: 35.570 torcedores; R$ 2.460.171,02

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO)

VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

Cartões Amarelos: Patrick de Paula (PAL); Vitor Bueno e Eder (SAO)

Gols: Gabriel Sara (SAO), aos 23'/1ºT; Luciano (SAO), aos 15'/2ºT

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos