São Paulo sonda Botafogo por atacante, mas valores dificultam avanço da negociação

Erison treina nos tempos de Botafogo sob os olhares de Luís Castro (Foto: Vítor Silva/Botafogo)


O São Paulo procurou o Botafogo nos últimos dias interessado no atacante Erison, mas segundo fontes do Morumbi ouvidas pelo LANCE!, os altos valores exigidos pelo Glorioso dificultam o avanço da negociação.

A informação foi revelada inicialmente pelo portal 'UOL' e confirmada pelo L! por dirigentes tricolores. Erison foi encontrado pelo departamento de análise do time paulista e teve seu nome aprovado pelo técnico Rogério Ceni.


+ Corinthians define posição sobre Matheus Pereira, Reus na mira de rival… O Fim de Semana do Mercado!

Segundo descoberto pela reportagem, o São Paulo se mostrou disposto a pagar R$ 1,7 milhão pelo empréstimo de um ano de Erison. Mas o Botafogo disse que só aceita negociar o atacante em definitivo.

Não é para menos, o jogador está emprestado pelo time carioca ao Estoril até o fim da corrente temporada europeia. Para piorar, os portugueses têm a opção de compra.

Parte do valor oferecido pelo Tricolor envolveria o pagamento da multa para encerrar esse acordo entre botafoguenses e o time lusitano.

O Botafogo não se pronunciou sobre a negociação até a conclusão desta reportagem.

Revelado pelo XV de Piracicaba, Erison chegou ao Glorioso em 2022 após boas passagens emprestado a clubes como Figueirense e Brasil-RS. O jogador de 23 anos disputou 34 jogos pelo Alvinegro no ano passado, marcando 16 gols e dando outras três assistências.

No meio da temporada, contudo, o atacante foi emprestado por John Textor ao Estoril, clube que pertence a David Blitzer, sócio do proprietário do Fogão no Crystal Palace, da Inglaterra. O contrato de Erison com o Glorioso vai até o fim de 2025.

Ceni vem enfatizando nas quatro entrevistas concecidas até agora no ano a necessidade de reforços no Tricolor. O ataque é um dos setores carentes. O treinador busca um reserva para Calleri, função vaga desde as saídas de Eder e Bustos.

- Eu sei que vocês falam, 'ah, o Rogério reclamou que faltam peças…’ Não é. Eu não estou reclamando. Eu só estou constatando. Se o clube conseguirá trazer o jogador adequado ou um jogador intermediário em relação àquilo que nós queremos para ocupar determinadas funções, vai nos ajudar bastante - disse, por exemplo, neste domingo (22), após o empate sem gols com o Palmeiras.

- Caso contrário, em algumas posições a longo prazo, a tendência é desgaste, lesão, perder esse jogador… Do Calleri ,na frente. Se o Calleri sai do jogo, quem tem o poder de segurar a bola? Não tem. Isso que nós temos que observar. Isso não é reclamar. Eu converso todos os dias com a diretoria - completou o comandante são-paulino.

Ao L!, fontes da cúpula são-paulina afirmam que tentarão um novo aceno ao Fogão pelo atacante. Mas que a negociação não seguirá se for insistida a compra em definitivo como essencial para a negociação.

> Confira jogos, classificação e simule os resultados do Paulistão-23