São Paulo reformula programa de sócio-torcedor e vê número de associados crescer

·7 minuto de leitura


O prejuízo dos clubes brasileiros em relação ao período de pandemia de coronavirus será sentido durante muitos anos e talvez parte dele ainda seja impossível de calcular. No entanto, o São Paulo soube manter o número de sócios-torcedores e até revitalizar o programa, o que contribuiu para a adesão de novos associados.

> GALERIA: Lembre todos os patrocinadores máster do São Paulo

Porém, não foi o que aconteceu nos últimos cinco anos. O São Paulo é conhecido por ser o pioneiro de programas de sócio-torcedor no Brasil. Com as últimas gestões, o Tricolor viu os números no programa despencarem.

VEJA A TABELA E SIMULE OS RESULTADOS DO BRASILEIRÃO

Sócio-torcedor do São Paulo ficou defasado na Era Leco
O último momento no qual o programa do São Paulo se destacou foi em 2016, impulsionado pela chegada do time à semifinal da Libertadores, quando chegou à marca de 100 mil torcedores pagando algum plano.

A gestão Leco, no entanto, não soube aproveitar muito o momento e deixou de inovar no programa, o que facilitou a saída de novos torcedores. Para se ter uma ideia, antes da pandemia do coronavírus, o Tricolor contava com apenas 30 mil sócios, antes dos 100 mil que contribuíam com o São Paulo.

- Sou sócio-torcedor ativo desde 2012. Era ativo no plano de R$ 30 do antigo modelo. O que todos sempre reclamaram era referente ao Total Acesso, o sistema para comprarmos os ingressos com os descontos. Sobre o plano, não tenho muito o que reclamar da época. A única coisa é que os torcedores nunca receberam nada do plano, a não ser a carteirinha e uma revista, em mais de oito anos sendo sócio-torcedor. Achava a relação do clube com os sócios falha. A única vantagem era comprar ingressos antecipados - disse Fábio Augusto Silveira da Costa, sócio-torcedor do São Paulo, em entrevista ao LANCE!.

Sendo assim, após o fim da gestão do antigo presidente, era hora da diretoria são-paulina mexer no programa. Um desafio, principalmente com a pandemia de Covid-19, que distanciou os torcedores dos estádios. O novo mandatário, Julio Casares, chegou e reformulou o programa.

Casares lança novo programa de sócio-torcedor
O ano de 2021 foi marcado com grandes mudanças no programa de sócio-torcedor do São Paulo. Cumprindo uma das principais promessas de sua campanha, o presidente do clube, Julio Casares, o programa foi reformulado. Agora com mais opções de adesões, o torcedor encontrará pacotes com novos nomes, preços mais baratos e diferentes benefícios, como taxas de desconto e outras vantagens.

Em 2020, durante sua campanha para a presidência do São Paulo, Casares focou parte considerável de seus planos no programa de Sócio Torcedor. O executivo havia prometido direcionar os gastos quase exclusivamente para o futebol.

- Temos que pensar no sócio como um patrocinador. Queremos garantir a ele que 90% do seu dinheiro investido vá para o futebol. Claro que também tem o torcedor a distância. A esse sócio, teremos um preço especial, com garantia de compra antecipada, pois ele precisa ter um planejamento anterior - afirmou Casares quando era candidato.

Antes das eleições, em conversa com o LANCE!, o agora presidente do clube comentou sobre algumas de suas propostas. Um dos planos era promover revitalizações nos programas de sócio-torcedor.

Como dito anteriormente, um dos focos de Casares era proporcionar melhores benefícios aos torcedores que moram em outros estados. Assim, a criação de uma categoria do programa, como um 'sócio à distância', foi uma das principais ideias. Para isso, o presidente contava com a ajuda das Embaixadas que estão espalhadas pelo Brasil.

- Para esse sócio, precisamos ter um preço especial e ele tem que ter garantias de compra antecipada. Uma pessoa da Bahia, de Goiás ou do Piauí tem uma programação a fazer, tem que ter um planejamento anterior - afirmou o presidente antes das eleições.

E essas mudanças foram, de fato, feitas. Eleito em dezembro de 2020, o presidente anunciou o novo programa no dia 28 de maio de 2021. Seguindo suas promessas de campanha, os preços, os benefícios e alguns extras prometidos foram incluídos no programa. De 15.100 sócios, o número subiu para 26.300 sócios, segundo o site oficial do programa.

Novos planos e benefícios para quem mora fora do Estado de São Paulo
Seguindo um dos pontos mais abordados, o programa visa auxiliar torcedores que morem longe da capital paulista. Assim, as novidades do programa incluem, a volta das embaixadas. O clube já identificou as antigas embaixadas e, durante a semana de lançamento, abriu espaço para o cadastro de novas.

De acordo com o próprio site oficial do programa, 69,4% dos torcedores ativos, moram no estado de São Paulo. Na sequência, vem Paraná, com 4,5%, Minas Gerais, com 3,4%, Santa Catarina, com 2,3% e Bahia e Distrito Federal, ambos com 2,2%.

No novo plano de Sócio Torcedor, o são-paulino tem cinco opções de associação, chamados de times: o Vermelho, o Branco, o Preto, o Tricolor e o Diamante. Desses, o primeiro é o mais simples e mais barato e, conforme a sequência, os planos ficam mais caros, mas mais vantajosos.






Os preços são:
- Vermelho: R$ 7,00/mês
- Branco: R$ 14,50/mês
- Preto: R$ 29,50/mês
- Tricolor: R$ 49,50/mês
- Diamante: R$ 79,50/mês

- Do plano atual, o que mais agradou foi que o São Paulo promete, a partir do momento que você assina o plano, alguns produtos. O que me fez assinar o novo sócio, em primeiro lugar, é ajudar o São Paulo. Eu subi inclusive o meu plano, pagava R$ 30 e agora pago R$ 60, pensando nos bônus e prêmios que posso receber. Achei legal a parte dos sorteios para ganhar camisa oficial, entre outras coisas que você vai acumulando no plano, de acordo com as interações - disse Fábio.

Uma das principais novidades para aproximar o torcedor são-paulino associado aos bastidores do clube é uma lista de conteúdos audiovisuais exclusivos e restritos. No cardápio, estão disponíveis vídeos que trazem a rotina do futebol profissional masculino, feminino, do CFA de Cotia e materiais institucionais/históricos.

Outra novidade muito interessante é o acesso antecipado dos sócios torcedores à escalação do time nos dias de jogos, além de receber antecipadamente notícias oficiais sobre contratações, reforços e novos contratos de patrocínio. Também é possível fazer perguntas semanalmente para integrantes do(s) elenco(s), da comissão técnica e da diretoria, em entrevistas exclusivas.

As novidades previstas para os dias de jogos no Morumbi terão informações maiores assim que o público volte a ser permitido nos estádios. O São Paulo também disponibilizará, por meio de uma rede de parceiros, parcerias que deem ao associado vantagens em hipermercados, farmácias e e-commerces de materiais esportivos, podendo haver alguma expansão.

No site do Sócio Torcedor (sociotorcedor.com.br), uma aba de Transparência exibe os resultados do novo programa. De lá, dá para ter uma ideia dos números alcançados até aqui pela revitalização.

Balanço Mensal com sócios-torcedores desde o começo da pandemia*
​04/2020 - R$ 514.746,00
05/2020 - R$ 822.291,00
06/2020 - R$ 803.100,00
​07/2020 - R$ 780.156,00
08/2020 - R$ 589.977,00
​09/2020 - R$ 562.863,00
10/2020 - R$ 518.259,00
​11/2020 - R$ 567.506,00
​12/2020 - R$ 522.013,00
01/2021 - R$ 517.334,89
02/2021 - R$ 547.891,25
03/2021 - R$ 554.493,87
04/2021 - R$ 482.481,52
05/2021 - R$ 412.832,36 - lançamento do novo programa de sócio-torcedor
*Dados do site oficial de sócio-torcedor do São Paulo

Porcentagem de torcedores nos planos*
- Vermelho: R$ 7,00/mês - 25,6%
- Branco: R$ 14,50/mês - 21,15%
- Preto: R$ 29,50/mês - 10,12%
- Tricolor: R$ 49,50/mês - 4,12%
- Diamante: R$ 79,50/mês - 5,64%
- Planos antigos - 33,27%
*Dados do site oficial de sócio-torcedor do São Paulo

Números de sócios-torcedores antes e depois da pandemia
Março de 2020: 15.100
Julho de 2021: 26.300

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos