São Paulo quita dívida com o Dínamo de Kiev pela compra de Tchê Tchê

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


O São Paulo quitou a última parcela e pagou uma dívida estimada em R$ 25 milhões com o Dínamo de Kiev-RUS pela compra do volante Tchê Tchê, ocorrida ainda em março de 2019, na gestão Leco. Na época, o jogador foi um dos pedidos do técnico Cuca.

A questão era uma das prioridades da gestão de Julio Casares, já que havia o risco do Tricolor levar alguma punição da Fifa pelo não pagamento aos ucranianos. A ação começou em R$ 22 milhões, mas, por conta da variação cambial, subiu para R$ 25 milhões.

Baixe o aplicativo do LANCE! e acompanhe o Brasileirão

- O São Paulo Futebol Clube e o FC Dinamo Kiev têm o prazer de esclarecer que as divergências financeiras geradas em 2019 foram sanadas. Com isso, os laços de amizade e intercâmbio profissional entre os clubes serão restabelecidos. Esperamos trabalhar juntos para um futuro de colaboração entre os nossos clubes para uma relação ética e profissional no futebol - escreveu o São Paulo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Vale destacar que Tchê Tchê foi emprestado ao Atlético-MG até maio de 2022, com direitos pré-fixados, caso o Galo opte pela compra ao fim do vínculo provisório.

Essa não foi a primeira dívida saldada por Julio Casares em sua gestão no São Paulo. Imbróglios com o Querétaro-MEX por Tiago Volpi e Krasnodar-RUS, por Cueva, também foram negociados, além de uma dívida com o Orlando City-EUA pela contratação do ídolo Kaká.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos