São Paulo projeta Daniel Alves 100% em retorno e aposta em físico forte

Goal.com

O São Paulo tem em Daniel Alves o atleta mais velho do seu elenco e uma das peças essenciais para o funcionamento do esquema tático de Fernando Diniz. E o Tricolor não se mostra preocupado com a condição física do jogador de 37 anos em meio à pandemia que impede treinamentos em grupos desde março.

O hoje meio-campista são-paulino tem em seu histórico recente alguns exemplos de que consegue se recuperar tranquilamente de períodos de inatividade. Um exemplo citado à reportagem foi a volta das férias, em que Daniel se destacava mesmo na comparação com garotos.

Outro momento marcante dos últimos anos se deu quando o jogador teve diagnosticada uma desinserção no ligamento do joelho em 2018, aos 35 anos de idade, lesão que é responsável por acabar com a carreira da maioria dos atletas nessa idade. Desde que ela ocorreu e o tirou da Copa do Mundo da Rússia, porém, Daniel Alves já atuou como titular do PSG em um ano e foi o melhor jogador da Copa América de 2019 no título da seleção brasileira de Tite.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O cuidado com o corpo do camisa 10 não é novidade para quem convive com ele nos últimos anos. Destinado a mostrar que ainda tinha valor para o Barcelona, clube que deixou aos 33 anos, ele investiu em uma rotina de fortalecimento e dieta balanceada para ser o mais longevo possível.

Além do foco na recuperação da grave lesão, que tirou dele a oportunidade de jogar a terceira Copa consecutiva da carreira, o jogador procurou conselhos com os profissionais com quem trabalhou tanto na Europa quanto na seleção brasileira para saber como aguentar o alto número de jogos do Brasil.

Tratado como acima da média tanto fisica quanto intelectualmente entre os boleiros, Dani Alves é visto como ótimo exemplo para os atletas mais jovens. A noção de que precisa manter a forma para seguir em alto nível em 2020 não precisou nem ser passada pela comissão técnica.

O que sentem falta a respeito do atleta, aliás, é a convivência. Como o grupo não se reúne para treinamentos há quase três meses, o jogador não pôde pôr em prática uma das suas maiores especialidades: o trato pessoal com os companheiros.

"Ele [Daniel Alves] gosta de colocar todo mundo para cima. Chega no CT e é o último a sair da mesa. Ele tem qualidades que acho que são replicáveis. Não dá para a gente pedir para o cara driblar igual ao Neymar, mas como se comporta, sim", comentou o técnico Fernando Diniz no começo deste ano.

Assim como os outros grandes da capital, o São Paulo deve retomar os treinos na segunda-feira, iniciando a preparação para a volta do futebol nacional. Será a oportunidade de ver o nível em que se encontra todo o elenco. A expectativa sobre Daniel Alves é a melhor possível.

Leia também