São Paulo mostra solidez defensiva e agora busca 'resgatar' o ataque

·2 minuto de leitura


O São Paulo teve uma parada duríssima na noite do último sábado ao enfrentar o Atlético-MG, líder do Brasileirão e uma das principais forças do futebol brasileiro atualmente. Além de garantir o 0 a 0, o time mostrou força defensiva em uma partida que exigia essa solidez. Apesar dessa evolução, o setor ofensivo novamente deixou a desejar e será algo a se aperfeiçoar.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Saiba quem são os 10 jogadores mais bem pagos do mundo

Pelo segundo jogo consecutivo, o Tricolor saiu de campo sem ser vazado. Antes dessa pequena e importante sequência, a equipe vinha de cinco jogos seguidos sofrendo gols. Foram nove tentos sofridos nesse período, ou seja, quase dois gols por partida em média. Somente nessa comparação, já é possível notar a melhora, que acabou sendo comprovada diante de um forte Galo.

Em sua entrevista coletiva, Crespo admitiu que enfrentou uma das melhores, se não a melhor equipe do país. Diante disso, o treinador escalou os três zagueiros de volta e três jogadores como mais características defensivas no meio-campo, mostrando que a prioridade era travar o adversário. E, de fato, isso aconteceu. Quando não foi possível, Tiago Volpi salvou o time da derrota.

Se a defesa mostrou evolução e um bom caminho daqui para frente, o ataque fez o contrário e deixou evidente uma dificuldade enorme na criação de jogadas. Não é à toa que foi a segunda partida consecutiva sem marcar gols. Contra o América-MG os problemas já haviam aparecido e contra o Atlético-MG eles foram reforçados, mesmo com Rigoni e Luciano jogando juntos na frente. Apenas uma finalização certa foi efetuada pelos são-paulinos durante o duelo.

A questão, porém, é que a bola não chegava para a dupla, que também não teve uma grande atuação. O time teve uma ligeira melhora no segundo tempo, especialmente nas descidas de Welington, em velocidade, e no aumento das peças mais à frente do meio-campo. No fim da partida, talvez pelo cansaço, o Galo neutralizou essas ações e passou a ameaçar mais. Somente nos acréscimos Gabriel Sara teve uma boa chance e quase abriu o placar.

É indiscutível que o São Paulo dispõe de boas opções ofensivas, como disse Miranda na saída de campo, mas somente as peças por si só não modificam os resultados. Por isso é preciso que toda a engrenagem seja ajustada para que o ataque possa desempenhar melhor e possa aproveitar a qualidade técnica que Luciano, Rigoni, Calleri, e afins oferecem para Crespo, que certamente vai olhar agora para o aperfeiçoamento desse setor após "encaminhar" a defesa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos