São Paulo lembra queda para o Juventude e se previne contra o ABC

Todo cuidado é pouco para o São Paulo, considerado favorito no duelo com o ABC de Natal, pela terceira fase da Copa do Brasil. Nas vésperas do jogo de ida, marcado para as 19h30 (de Brasília) desta quarta-feira, no Morumbi, os remanescentes da eliminação para o Juventude na edição passada fizeram questão de recordar o vexame para prevenir a equipe diante dos potiguares.

Na ocasião, o Tricolor era treinado por Ricardo Gomes, antecessor de Rogério Ceni no comando técnico, e enfrentava um time da terceira divisão nacional. Disputado no Morumbi, o primeiro jogo terminou em 2 a 1 para o Juventude, que naquela noite teve o atacante Roberson como o seu herói, marcando os dois gols da vitória dos gaúchos. Andres Chavez descontou para os mandantes.

Após a partida, centenas de são-paulinos protestaram em frente ao portão principal do estádio. “Perder pra Série C já virou humilhação”, reclamaramos torcedores, que fizeram coro contra o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva e o então diretor-executivo de futebol Gustavo Vieira de Oliveira. No jogo de volta, em Caxias, Rodrigo Caio de cabeça marcou na vitória por 1 a 0, mas o São Paulo acabou fora da disputa pelo critério do gol fora de casa.

Na última segunda-feira, na reapresentação do elenco no CCT da Barra Funda, o zagueiro Diego Lugano convocou a torcida para o confronto e, mais do que isso, pediu postura de Copa Libertadores para a equipe não vacilar novamente contra o rival considerado mais fraco, que disputará a Série B em 2017.

“Talvez comece seriamente essa escalada. Tomara que a torcida compareça, nos dê apoio e dite o ritmo do jogo, porque ano passado, cedemos para o Juventude, em uma noite fria, com pouca torcida. E a defesa tem de se comportar como se comporta em Libertadores, com muita confiança em cada bola. Às vezes, essa mentalidade pode ser mais forte do que o excesso de confiança”, afirmou o uruguaio.

O lateral direito Bruno, também presente na queda para o Juventude, exigiu respeito ao ABC. “O favoritismo é do São Paulo porque é um grande clube, mas estamos cientes de que temos de respeitar cada adversário. No ano passado, já fomos surpreendidos no Morumbi, então é ter a cabeça no lugar”, analisou o camisa 2.