São Paulo joga como se estivesse com 2020 garantido; leia análise

Alexandre Guariglia
LANCE!
São Paulo foi derrotado com gol aos 44 do segundo tempo (Foto: Eduardo Carmim/Photo Premium/Lancepress!)
São Paulo foi derrotado com gol aos 44 do segundo tempo (Foto: Eduardo Carmim/Photo Premium/Lancepress!)


O São Paulo entrou em campo neste domingo sabendo que, diante do Athletico-PR, precisaria não só de um bom resultado, mas também de um desempenho que mostre que o time ainda tem margem para permanecer na disputa para uma vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores. No entanto, não foi o que aconteceu na derrota por 1 a 0, no Morumbi. O que se viu foi uma equipe que parecia ter seus objetivos para 2020 garantidos.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui


Diante de um Furacão desfalcado e com vaga confirmada para a Liberta do ano que vem, o Tricolor sabia que precisaria fazer valer o fator casa desde o início de jogo. Apesar de ter a maior posse de bola, os mandantes não tiveram o jogo sob controle, já que os visitantes detectaram desde o início as fraquezas do adversário e levaram a partida como quiseram, satisfeito com um empate.

É preciso ser justo, porém, e dizer que o melhor em campo foi o goleiro Santos, convocado para a Seleção Brasileira. A principal defesa dele foi uma finalização cara a cara com Pablo, que acabou perdendo um gol quase inacreditável. Além desse lance, o arqueiro ainda foi seguro e espalmo um belo chute de Reinaldo, ainda no começo do primeiro tempo, quando o São Paulo teve mais ímpeto.

A verdade é que o Tricolor parece ter demorado a perceber que seu adversário já não tem muito mais o que disputar na competição e a alternativa seria acelerar o jogo para tirar os paranaenses da zona de conforto, uma vez que são os paulistas aqueles que querem algo mais no campeonato e dependiam dessa vitória para permanecer forte na briga pelo G4, o que tende a complicar mais.

Antony foi o melhor do São Paulo, aquele que mais se atreveu a fazer o que o restante do time não conseguia, que era partir para cima da defesa adversária e fazer algo diferente. Foi ele que conseguiu levar mais perigo com dribles, passes e até finalizações, o que não é seu forte. Vale destacar também a participação de Igor Gomes, essencial no meio-campo são-paulino. O entrosamento dos dois jovens de Cotia foi um ponto alto da atuação tricolor.

O time da casa continuou sem acelerar a partida. Gabriel Sara, Raniel e Hernanes entraram durante o segundo tempo, mas pouco fizeram. Sara chegou a ter uma oportunidade em uma jogada confusa na área, mas foi só. Diante disso, o resultado parecia caminhar para um 0 a 0 decepcionante, mas com um ponto garantido. Até que Marcelo Cirino arriscou chute de fora da área no campo molhado e Tiago Volpi acabou aceitando. 1 a 0 para o Athletico-PR.

A derrota foi um castigo grande para um time que não soube entender sua situação no campeonato e o contexto do jogo deste domingo. O adversário, tranquilo, apenas se aproveitou da apatia são-paulina e saiu de campo com um resultado muito acima do esperado. Se quiser ainda brigar pelo G4, o São Paulo terá de competir muito mais do que o que vem demonstrando.






Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também