São Paulo falha na hora de dar passo crucial para seu futuro no Brasileirão

·2 min de leitura


O São Paulo entrou em campo no último domingo, contra o Bahia, sabendo que bastaria uma vitória simples para levar o time ao nono lugar na tabela, a dois pontos do G8 do Brasileirão-2021. No entanto, o que se viu na Fonte Nova, pela 30ª rodada do campeonato, foi um time apático e com dificuldade para levar perigo ao adversário, uma oscilação que pode estagná-lo no campeonato.

Desde o início de agosto, quando bateu o Vasco, pela Copa do Brasil, e o Athletico-PR, pelo Brasileiro, o Tricolor não consegue estabelecer uma sequência de vitórias. Desde então, as possíveis séries de triunfos foram interrompidas por empates ou derrotas. Sendo assim, seria difícil imaginar que, contra o Bahia, fora de casa, e ligeiramente pressionado, o cenário mudaria.

E não mudou. Depois de vencer o Internacional, no Morumbi, e ver os resultados da rodada contribuindo para seus objetivos, o São Paulo tinha uma chance enorme de se consolidar nessa reta final da competição e partir para a briga por uma vaga na Libertadores. No entanto, havia o Bahia no meio do caminho e uma má atuação da equipe para acabar com os planos de Ceni.

Aliás, vale destacar que a oscilação não é culpa do atual treinador, já que com Crespo isso era bem comum também e foi o que trouxe o Tricolor a estar em uma posição tão longe do que seu potencial oferece. Até aqui, sob o comando do ídolo, são cinco jogos, duas vitórias, um empate e duas derrotas. São sete pontos conquistados em 15 possíveis, ou seja, menos da metade do total.

Mas além da oscilação técnica, tática e de resultado, a questão anímica deixou a desejar. Para um jogo decisivo como esse, que poderia alçar o clube para a primeira parte da tabela, próximo das vagas continentais, a postura do time deveria ter sido mais voltada para uma decisão. Enquanto o Bahia entrou brigando em todas as bolas, o São Paulo não conseguiu igualar a intensidade.

Isso acabou fazendo toda a diferença da metade do primeiro tempo em diante, quando os baianos "engoliram" os são-paulinos fisicamente. O gol passou a ser questão de tempo, pois o Tricolor paulista foi para o intervalo "no lucro", pois poderia ter tomado um ou dois gols já na etapa inicial. O momento de maior reação da equipe de Ceni foi nos minutos finais, com chutes de fora da área: um com Benítez, defendido por Danilo Fernandes, e um de Shaylon, para fora.

Com a derrota, o São Paulo vê a possibilidade de Libertadores mais distante de seus olhos, mas não como algo inalcançável. Uma oportunidade como essa, dificilmente irá acontecer daqui para frente, mas é preciso refletir sobre o que levou o time a não usar essa motivação em seu favor. Caso contrário, a persistência nessa oscilação irá estagnar o Tricolor na tabela do Brasileirão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos